21.8 C
Campo Grande
terça-feira, 23 de abril, 2024
spot_img

Redução da vazão mínima da usina de Porto Primavera tem início neste sábado

Segundo Cesp, medida visa contribuir para preservação dos estoques de água acumulados na bacia hidrográfica

A partir deste sábado (30), a Cesp (Companhia Energética de São Paulo), seguindo determinação do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) e do Ministério de Minas e Energia, irá reduzir a vazão mínima defluente na UHE (Usina Hidrelétrica) Porto Primavera, localizada no Rio Paraná, à altura do município sul-mato-grossense de Batayporã e Rosana (SP).

A medida é parte de uma ação conjuntural dos órgãos e busca minimizar o risco de esvaziamento mais acentuado dos reservatórios da bacia do Paraná, incluindo os reservatórios dos rios Grande e Paranaíba, preservando os usos múltiplos da água e a segurança eletroenergética do país.

De acordo com a determinação do ONS, o patamar mínimo defluente deverá ser reduzido de forma gradual e controlada, passando dos atuais 4.600 m³/s para 3.900 m³/s até quarta-feira (03), podendo se estender até o fim de outubro de 2024. Para executar a operação, a Cesp implementará Plano de Trabalho apresentado ao Ibama que contempla as diretrizes para o monitoramento ambiental ao longo de 100 km do rio Paraná, nos trechos compreendidos entre a jusante da UHE Porto Primavera e a foz do rio Ivinhema.

“A Cesp trabalha pautada no desenvolvimento sustentável e na preservação da biodiversidade, assim como na conservação dos nossos recursos hídricos. Durante todo o período de operação, equipes multidisciplinares, com ampla experiência na área de ecologia, estarão à frente das atividades de monitoramento, avaliação e rastreio de possíveis ocorrências ambientais. A população pode comunicar qualquer ocorrência identificada para a empresa pelos nossos canais de atendimento”, destaca Luís Paschoalotto, Gerente Executivo de Geração da Cesp.

Fale com a Redação