Prêmio destaca as ações para caminhabilidade nas cidades brasileiras

No mês de aniversário da cidade, uma boa notícia! O Programa Reviva Campo Grande, inscrito no primeiro Prêmio Cidade Caminhável, promovido pelo Movimento SampaPé!, conquistou o quarto lugar entre 28 projetos inscritos.

Participaram 16 cidades de 10 estados, mais o Distrito Federal, divididos em três categorias: cidades pequenas, cidades médias e cidades grandes, de acordo com o número de habitantes.

Campo Grande participou na categoria cidade grande, com mais de 800 mil habitantes. “Foi uma honra mostrar nosso projeto e destacar sua importância para o desenvolvimento da cidade. E é muito gratificante ser visto como exemplo, podendo inspirar outras cidades”, afirma a coordenadora do Reviva, Catiana Sabadin.

O Prêmio englobou projetos pela “mobilidade a pé” desde 2012 até 2020, traçando um histórico destas intervenções a partir da Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Todos os participantes aparecem agora no Mapa Cidade Caminhável, que destaca as ações para caminhabilidade nas cidades brasileiras, disponível no link: https://www.premiocidadecaminhavel.org/mapa-de-projetos

O objetivo do concurso é reconhecer projetos e iniciativas realizadas por órgãos públicos em municípios brasileiros que tenham contribuído para a melhoria da caminhabilidade. O vencedor na categoria cidade grande foi do Ceará, com o Plano Municipal de Caminhabilidade de Fortaleza. A premiação é a produção de um mini webdocumentário que vai contar a solução implantada na cidade, além de um podcast sobre sua realização.

Quatro mulheres, especialistas em mobilidade e cidades, fizeram parte do júri que avaliou no formato on-line e independente, os 28 projetos das três categorias. Os critérios analisados foram: Caminhabilidade, Impacto, Participação social, Colaboração (parcerias considerando a transversalidade e capacidade de colaboração e envolvimento de atores/atrizes diversas); e Inovação.

O Prêmio Cidade Caminhável contou ainda com apoio do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP/ Brasil), que já esteve em Campo Grande desenvolvendo uma capacitação com foco em acessibilidade e mobilidade urbana. Para a gerente de Mobilidade Ativa do ITDP, Danielle Hoppe, o programa Reviva Campo Grande está transformando ruas importantes do centro da cidade, estimulando a circulação dos pedestres através da qualificação do espaço público, da implementação de rotas acessíveis, melhoria da segurança nas travessias e redução da velocidade dos automóveis.

“A participação em premiações dessa natureza ajuda a disseminar as boas práticas pelo país e incentiva gestores a implementar projetos de caminhabilidade. Não podemos esquecer que, segundo a Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), nas cidades brasileiras, 39% dos deslocamentos são feitos a pé e somente 26% de automóvel”. As principais áreas de atuação do Instituto são transporte público, gestão da mobilidade, transportes ativos (mobilidade a pé e por bicicleta) e promoção de políticas e projetos de desenvolvimento orientado ao transporte sustentável.

Reviva Campo Grande

O projeto contemplou ampliação e padronização das calçadas, e transformou a Rua 14 de Julho na primeira rua da cidade com trânsito calmo (limite de 30km/hora), adotou rampas, piso tátil e botoeiras sonoras para garantir a acessibilidade e, em cada quadra, tem travessias elevadas e bancos para o pedestre. Também reduziu o espaço para os carros, suprimindo uma pista de rolamento.

Comentários