20.8 C
Campo Grande
segunda-feira, 17 de junho, 2024
spot_img

Riedel: “Movimento por terra é democrático, mas não podemos aceitar a invasão”, diz governador de MS

O governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, chamado pelo presidente Lula na última sexta-feira (12), para comprar terras a resolver situação de indígenas de Dourados, e, com manifestação de movimentos sociais, nesta terça-feira (16), por reforma agraria no Estado, deu declaração que pode ser considerada polêmica, e ainda durante participação em evento de abertura da Tecnofam, pela Agricultura Familiar em Dourados.

“Movimento por terra é democrático, mas não podemos aceitar a invasão. Entendo as reivindicações por terras feitas pelos pequenos agricultores, mas também defendo um modelo de regularização de títulos antes de trabalhar a reforma agrária”, declarou Riedel na abertura da edição deste ano da Tecnofam – feira que leva tendências tecnológicas à agricultura familiar em Dourados.

“A reivindicação é democrática e cada grupo da sociedade tem legitimidade para reivindicar, isso não é problema. Vai da linha ideológica de cada governo avançar em programas de reforma agrária, ou não”, acrescentou sobre o tema, em resposta que ocorreu em meio ao questionamento feito durante coletiva realizada na manhã de hoje, no Parque de Exposições João Humberto de Carvalho, onde acontece o evento, considerado o maior do Centro-Oeste nesse quesito. 

Durante este mês, movimentos sociais voltados a reforma agrária realizam diversas ações como forma de pressionar o Governo Federal, no chamado ‘Abril Vermelho’. Sobre as ações do tipo, o assunto, também foi mencionado por Riedel, dizendo entender as manifestações, porém, sem que ocorra invasões em propriedades rurais. “O que não podemos aceitar é invasão, isso não é democrático”.

Quinta edição da Tecnofam começa nesta terça-feira em Parque de Dourados

Em MS estamos indo bem

Riedel avaliou que aqui no Estado, o debate e ou ações reivindicatória, tem acontecido no campo da discussão, da reivindicação, o que é positivo. Ele lembra que o tema e ação é d responsabilidade direta ou primeiro do Governo Federal e que o atual tem uma linha de avançar na reforma agrária e que “isso é decisão deles, a gente respeita”, contou o governador. 

Durante a entrevista, Eduardo Riedel ainda evidenciou como o assunto deve ser tratado, na opinião dele. 

“Primeiro, temos que regularizar títulos, acho que não deveria fazer [reforma agrária] sem regularização fundiária. Isso cria um transtorno muito grande lá na frente. Em segundo, a infraestrutura. Quando falamos disso é o acesso a água, estrada, escola e saúde nos assentamentos montados”, pontuou.

Tecnofam

O governador também falou sobre a expectativa da Tecnofam, evento bianual realizado pela Embrapa Agropecuária do Oeste e que leva novidades tecnológicas apresentadas através da pesquisa ao pequeno produtor. 

Na opinião dele, todo o desenvolvimento apresentado pelo agronegócio também deve ser disponibilizado para a agricultura familiar. 

“[Evento] Importantíssimo, a gente tem uma linha junto a agricultura familiar, que é tecnológico, regularização de títulos fundiários, de dar competitividade a esse segmento em uma cadeia de produção diversificada, o que é bom para o Estado. Aqui é o ambiente onde o conhecimento encontra essa realidade do campo, que os produtores da agricultura familiar possam vir para conhecer essas ações que a Embrapa e as Universidades têm feito”, relatou. 

A Tecnofam teve início nesta terça-feira e segue até o dia 18 de abril, no Parque de Exposições João Humberto de Carvalho, em Dourados. 
 

Fale com a Redação