A noite desta última terça-feira (19) mobilizou em torno de dez profissionais no centro cirúrgico da Santa Casa de Campo Grande. Toda essa logística foi para garantir que a primeira captação de fígado com equipe própria de Mato Grosso do Sul acontecesse. A cirurgia iniciou por volta das 22h de terça e seguiu até a madrugada de hoje (20), com três horas de duração, e sem intercorrências. Além disso, na oportunidade, também foram doados rins e córneas.

O procedimento, que é inédito e muito esperado pela Santa Casa de Campo Grande, faz parte do processo para habilitar o hospital a realizar transplante hepático e ser uma oportunidade da população que necessita, será tratada em MS. Mas neste momento, enquanto não há o credenciamento, a instituição continuará sendo uma referência na qualidade de órgãos ofertados e uma opção de cuidado ao paciente com doenças que acometem o fígado.

A atitude altruísta da família na autorização da doação dos órgãos e tecidos do paciente de 58 anos, vítima de uma lesão cerebral aguda, e morador de Campo Grande, possibilitou ajudar cerca de cinco pacientes que aguardavam na fila para transplante. Toda essa ação da Organização de Procura de Órgãos (OPO) é fruto do atendimento ao desejo do paciente em vida, levando em consideração seus feitos durante os anos de vida.

De acordo com o médico responsável pela condução do procedimento, Dr. Gustavo Alves Rapassi, essa primeira captação é muito importante, pois é parte fundamental do processo necessário para a habilitação do implante de fígado na Instituição. “Através das captações conseguiremos gerar indicadores de órgãos extraídos, quais os perfis dos órgãos doados, além de encontrar pacientes que tenham indicação e encaminhá-los para outros centros transplantadores e acompanhá-los no pós-operatório. Isso até que tenhamos a autorização para implante na Santa Casa, pois já temos atendido alguns critérios, sendo mais um serviço ofertado em benefício dos pacientes locais”, explicou o médico.

Santa Casa realiza inédita captação de fígado com equipe própria

Santa Casa realiza inédita captação de fígado com equipe própriaA extração do fígado esteve sob o comando dos médicos cirurgiões, Dr. Gustavo Alves Rapassi e Dr. Alexandre Braga Gonfiantini, com auxílio de mais duas residentes da especialidade, Drª Jéssica Félix e Drª Thais. Já os rins foram extraídos pelo médico urologista Dr. Adriano Lyrio e do médico residente Dr. Murilo Angel Jordão de Sá. Contando ainda com a importante participação e apoio da equipe do centro cirúrgico, envolvendo médicos anestesistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Equipe própria

Há pouco mais de um mês, a Santa Casa de Campo Grande passou a ter em seu corpo clínico mais um responsável pela extração de órgãos abdominais como rins e, especialmente, fígado e pâncreas vinculado à Organização de Procura de Órgãos (OPO). Que fará a captação em pacientes doadores em Mato Grosso do Sul. Outra grande conquista é a otimização do tempo de procedimento, uma situação que oferece ainda mais acolhimento aos familiares.  

“Infelizmente, MS tem um dos maiores números de recusa familiar para doação de órgãos, mas a OPO junto com as demais equipes vem desenvolvendo um importante trabalho, e isso é mostrado no ranking de sexta posição em maior número de doadores por milhão de habitantes, segundo a Associação Brasileira Transplante de Órgãos (ABTO). Com a captação feita pela equipe estadual, a garantia de um tempo menor de procedimento é certa e também a possibilidade de liberação do ente para questões fúnebres junto a família”, destaca Dr. Gustavo Alves.

Santa Casa realiza inédita captação de fígado com equipe própria

Por ASCOM Santa Casa de Campo Grande

Comentários