(Foto: divulgação Ascom Sta. Casa)

Os acidentes no trânsito estão se tornando cada vez mais evidentes e vitimando pessoas das mais diversas formas. A exemplo desta situação, foi o caso do paciente de 20 anos trazido de Três Lagoas para tratamento especializado na Santa Casa de Campo Grande, ele foi vítima de atropelamento no último dia 30 de dezembro de 2021. Com o diagnóstico inicial de múltiplas fraturas na coluna, após a avaliação da equipe de neurocirurgia foi identificado lesão em três vértebras da coluna torácica e uma na segunda vértebra cervical, consideradas fraturas instáveis, as quais há risco de deslocamento de vértebras e lesão medular, com a possibilidade de sequelas permanentes.

Para correção dessas fraturas, e garantir a melhora de sua qualidade de vida, o paciente foi submetido a dois procedimentos cirúrgicos: fixação da coluna através de próteses de titânio chamada artrodese da coluna dorsal e osteossíntese de odontóide na coluna cervical, realizados sequencialmente no dia 4 de janeiro de 2022. O procedimento iniciou com a fixação da fratura da segunda vértebra cervical através de um acesso na parte anterior do pescoço e, em seguida, o paciente foi virado para ser operado das fraturas das vértebras dorsais.

A médica neurocirurgiã do hospital, Mariana Mazzuia, explicou que “a cirurgia na coluna cervical para fratura do odontóide, apesar de ter duração em torno de 1 hora, exige muito sincronismo da equipe, pois é feita por um acesso minimamente invasivo e precisamos guiar um parafuso de forma tridimensional através do raio-X, feito em tempo real”, disse a neurocirurgiã.

Já no segundo procedimento, conduzido pelo médico neurocirurgião Wolnei Zeviani, a complexidade foi ainda maior, pois “nesta cirurgia de correção de fratura na coluna torácica substituímos duas vértebras que sofreram esmagamento completo, por uma armação de titânio e, para tal, é utilizado um acesso cirúrgico em torno de 4 cm entre os pulmões e a medula espinhal, onde fixamos essas vértebras acima e abaixo da fratura com parafusos de titânio”, destacou Wolnei.  

Santa Casa reverte fraturas vertebrais de paciente que fica com movimentos preservados
(Foto: divulgação Ascom Sta. Casa)

Santa Casa reverte fraturas vertebrais de paciente que fica com movimentos preservadosPara realização do procedimento com mais segurança, a cirurgia contou com a participação do médico neurologista da Santa Casa, João Marcello Borba, que fez todo o estudo eletroneuromiográfico, que visa avaliar a função medular durante o procedimento através de eletrodos. E após a permanência de três dias internados em recuperação, o paciente recebeu alta hospitalar com todos os movimentos preservados, e atualmente está em casa na companhia da família, ao qual sua esposa demonstrou sua gratidão aos profissionais envolvidos na cirurgia do marido. “Quero agradecer a todos que participaram da cirurgia do meu marido, está tendo uma ótima recuperação da cirurgia”, agradeceu.  

O neurocirurgião reforça ainda, que o serviço é extremamente importante no Estado e que “a Santa Casa é uma referência para tratamento de fraturas da coluna e este caso é um exemplo de fraturas múltiplas e graves em que foi feito um tratamento reconstrutivo, mantendo a funcionalidade total da coluna vertebral”, finalizou Wolnei Zeviani.

Fonte: Ascom Santa Casa de Campo Grande

Comentários