Chico Ribeiro

Sistema e-Visita de Endemias que atende 72 municípios do Estado e foi campeão na categoria Saúde

O Projeto e-Visita Endemias da Secretaria de Estado de Saúde foi o campeão na categoria Saúde, no 1º Prêmio de Boas Práticas do Brasil Central, que reúne sete estados da federação consorciadas. A premiação é destinada a servidores que promovem experiências exitosas por meio de projetos inovadores. Neste ano, o consórcio analisou 58 projetos em seis categorias e Mato Grosso do Sul venceu em três, entre elas, a Saúde.

Com mais de 1,2 mil profissionais envolvidos, entre agentes de campo, supervisores e coordenadores, o e-Visita foi criado em Mato Grosso do Sul e começou a ser implantado em 2016. Com ele, em vez de fazer anotações no papel, o profissional, registra no aplicativo todas as condições encontradas, podendo, se necessário, tirar fotos e enviá-las via on-line, para o Município ou Estado. Desta forma, os gestores podem tomar decisões e providências de forma mais rápida e eficiente.

Saúde se destaca em premiação nacional com projeto inovador de boas práticas

Para possibilitar o uso adequado deste sistema, a SES realizou treinamento de 1.200 agentes de endemias e entregou a cada um deles, um aparelho smartphone com o aplicativo devidamente instalado. No total, já foram entregues 1,2 mil celulares, mas a previsão é que este número chegue a 2 mil. A utilização da tecnologia depende da adesão dos municípios, uma vez que o cadastro das residências é feito com base em dados fornecidos pelas prefeituras. Campo Grande deve receber até o final do ano, mais 500 aparelhos, tendo 100% de cobertura.

Coordenador de Tecnologia da Informação da SES- MS, Marcos Espíndola de Freitas, servidor de carreira há 34 anos, responsável pelo projeto, afirma que esta é uma ferramenta de tecnologia muito importante que o Estado. “Nós desenvolvemos com tecnologia própria e foi reconhecidamente, o melhor case em saúde pública neste consórcio. Estamos muito felizes com esta premiação e muito mais satisfeitos com o resultado que temos nesta aplicação e na adesão que tivemos no Estado e o reconhecimento que tivemos nas categorias, em usar a tecnologia, justamente, para permitir que este controle seja mais fino e mais apurado e permita ações imediatas para o controle do mosquito”.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destaca a importância deste projeto. “A concepção do e-Visita enquanto aplicativo para celulares e plataforma Web para gestão, propõe total mudança da abordagem do modelo anterior de registro das visitas domiciliares realizada pelo Agente de Controle de Endemias”.

Adesão de municípios em MS

O e-Visita já vem sendo utilizado pelos municípios de Água Clara, Alcinópolis, Amambai, Angélica, Antonio João, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Deodápolis, Douradina, Eldorado, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Jaraguari, Jardim, Jateí, Juti, Laguna Carapã, Maracajú, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paraíso das Águas, Paranaíba, Paranhos, Pedro Gomes, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sidrolândia, Sonora, Tacuru, Taquarussu, Terenos, Três Lagoas, Vicentina, Miranda, Nova Alvorada do Sul, Porto Murtinho, Anastácio, Anaurilândia, Dois Irmãos do Buriti e Ladário.

Pernambuco usa e-Visita, aplicativo criado em MS

Criada pela Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CETEC) da Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Mato Grosso do Sul, e que já é utilizada pela grande maioria dos municípios sul-mato-grossenses. A inovação deu tão certo que vem atraindo a atenção de outros Estados brasileiros, entre eles Pernambuco, que está implantando o sistema.

Ao todo, serão 83 aparelhos, todos com acesso à internet. No final de abril, seis municípios do Agreste (Pesqueira, Sanharó, Alagoinha, Ibirajuba, Poção e Jurema) também foram contemplados, com 65 celulares. A expectativa é que todos os municípios pernambucanos já estejam utilizando a tecnologia.

Comentários