Governo de MS.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) emitiu um alerta à população, solicitando que fique em casa após as 21 horas, devido o aumento expressivo de casos de covid-19 (novo coronavírus), nos últimos dias.

O alerta vem de encontro com as proximidades das festas de final de ano, antecipação do pagamento salarial e do 13º salário dos funcionários públicos estaduais e a realização da queima de estoques Black Friday e continuidade de promoções, que provocará um aquecimento do comércio de Campo Grande, gerando maior fluxo de pessoas nas ruas.

Com isso, a SES recomenda aos campo-grandenses para evitar a aglomerações e fazer o uso de máscaras e de álcool.

“É nossa responsabilidade, informar que a semana epidemiológica 47 que começou no 15 de novembro, apresentou um aumento expressivo do número de casos SRAG/Covid em Campo Grande, aumento que continuou ao longo desta semana à 48. Houve também um aumento expressivo nos casos de isolamento domiciliar, ou seja, pessoas suspeitas e/ou confirmadas que precisam estar isoladas de outras pessoas, bem como, o dobro do número de internações no Estado de Mato Grosso do Sul. Já estamos com superlotações nos hospitais da Capital”, frisou a nota.

Perfil dos casos

Na Capital, a faixa etária mais acometida é de adultos jovens de 20 a 39 anos que possui uma dinâmica social mais ativa, frequentam mais espaços coletivos, consequentemente essas pessoas podem se contaminar e levar o vírus para suas famílias, em especial aos idosos, comprovadamente mais vulneráveis à forma grave da Covid-19.

Portanto, cabe-nos ressaltar a imperiosa necessidade de:

  • Obrigatoriedade do uso de máscara;
  • Medidas de higiene;
  • Evitar aglomerações, saídas de casas e contatos desnecessárias;
  • Permanecer em casa, no período das 21h às 5h, sem mobilidade urbana.

A SES também recomenda aos comércios em geral, que aumentem as regras de biossegurança e exijam que as pessoas dentro de seus estabelecimentos usem máscaras, façam a higienização das mãos com álcool e mantenham distanciamento entre si. Não permitam aglomerações frente aos seus estabelecimentos.

Comentários