Trabalho realizado pela equipe técnica, além de proteger dados, garantiu economia à Santa Casa

O cuidado com as informações dos pacientes, funcionários e administrativo da empresa é um dos desafios da equipe de Segurança da Informação da Santa Casa de Campo Grande. Para manter essa integridade dos dados, uma equipe faz o acompanhamento 24 horas por dia de toda movimentação que tem no hospital, tanto na internet, quanto nos ambientes de rede internos.

Para realizar este trabalho, o grupo formado por quatro funcionários iniciou, há dois meses, a construção de softwares de acompanhamento em tempo real das atividades virtuais realizadas dentro da Instituição que, além de contar com uma ferramenta de trabalho, conseguiu economizar para o hospital mais de R$ 150 mil.

“Tem muitos programas, softwares prontos para serem usados, precisando apenas de integração, porém são caros. A situação que vivemos hoje no hospital não nos permite um investimento alto, então esse momento foi importante também para valorizar a mão de obra que temos internamente, com profissionais capacitados que realizaram todo esse trabalho que é um legado para o hospital”, comentou Gilson Ferreira, gerente de Gestão da Segurança e Tecnologia da Informação.

“Informação dentro do hospital é algo valioso, pois temos dados de todos os pacientes, colaboradores, enfim, temos muitos detalhes que precisam ser preservados, por isso temos uma equipe que diariamente, em todos os horários, faz um acompanhamento rígido do que que acontece dentro do hospital”, complementou Ferreira ao mostrar a tecnologia desenvolvida na instituição para a tabulação de dados e acompanhamento em tempo real dos acessos virtuais.

No dia-a-dia, o monitoramento dos acessos realizados pelos funcionários é essencial para ajudar a garantir a segurança das informações. “O usuário tem muita responsabilidade na maioria dos dados que vazam das empresas. Entrando em sites não confiáveis ou abrindo links maliciosos são alguns dos grandes problemas, pois podem nos deixar vulneráveis, para isso temos o acompanhamento todos os dias e o tempo todo”, complementa Lino Almeida Oliveira, coordenador de Segurança da Informação.

Durante a pandemia, mesmo em dificuldade financeira, o hospital precisou investir na área da tecnologia para que houvesse a continuidade dos trabalhos, principalmente no setor administrativo da instituição. “Apesar de ter uma equipe que produz e constrói muito material, também utilizamos softwares gratuitos, mas mesmo assim compramos uma licença de software firewall que nos ajudou durante a pandemia para o trabalho home office. Isso nos deu uma segurança no trabalho de todos que precisaram acessar as máquinas via VPN”, concluiu Ferreira.

Por ASCOM Santa Casa 

Comentários