25.8 C
Campo Grande
domingo, 3 de março, 2024
spot_img

Segurança e funcionária de casa noturna são vítimas de ofensas, injúrias e racismo

Um segurança particular e uma atendende de uma casa noturna de Dourados foram vítimas do crime de injúria na noite de ontem (08).

De acordo com as informações, por volta de 23h40 um jovem de 22 anos tentou furar a fila para entrar no estabelecimento, localizado na rua General Osório.

No entanto, o segurança pediu para que ele aguardasse na fila e, com isso, houve uma discussão entre os dois.

Em dado momento, o rapaz xingou uma mulher, também funcionária do estabelecimento, de “gorda nojenta”.

Diante disso, o segurança interviu e foi alvo de ofensas, sendo chamado de “preto seboso; gordo nojento; pobre da senzala”, de acordo com o registro da ocorrência. 

Na confusão, um amigo dele, de 26 anos, também se exaltou e passou a desacatar os funcionários e foi preso. 

Logo depois, a Polícia Militar foi acionada e prendeu os dois jovens em flagrante. Eles foram levados para o Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário). 

A dupla vai passar por audiência de custódia ainda neste sábado (9). Os dois responderão por injúria, desacato, desobediência e racismo.

O crime de injúria está previsto no artigo 140 do Código Penal e ocorre quando uma pessoa profere a outra um xingamento, contendo algo desonroso ou ofensivo, atingindo a sua dignidade, honra e moral.

Ao contrário da calúnia e difamação, no crime de injúria não é necessário que terceiros tomem ciência da ofensa.

Fale com a Redação