28.8 C
Campo Grande
quarta-feira, 24 de julho, 2024
spot_img

Seminário vai discutir o papel das universidades na conservação de biomas do país

Na próxima quarta-feira (19), será realizado o Seminário Meio Ambiente e Academia: a contribuição das universidades para a preservação dos biomas brasileiros. O evento faz parte da campanha da Rede UniSustentável e da Diretoria de Desenvolvimento Sustentável (Dides) da Universidade federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), com transmissão ao vivo pela internet.

Para o diretor da Dides, Leonardo Chaves de Carvalho, a integração e a união de esforços na realização do seminário é motivo de orgulho para a UFMS. “Estamos muito orgulhosos em organizar o seminário, demonstrando a união e o trabalho da Rede UniSustentável que nasceu na nossa Universidade. Nosso objetivo é ao demonstrar como o ensino, a pesquisa e a extensão universitária estão sendo aplicados na conservação dos principais biomas brasileiros. Este seminário busca reforçar o papel fundamental das universidades na sustentabilidade e na proteção dos ecossistemas brasileiros, refletindo nosso compromisso conjunto com o desenvolvimento sustentável”, destaca.

“A proposta é apresentar um projeto de destaque de instituições que fazem parte da Rede UniSustentável que trabalhem com a conservação de um bioma brasileiro. O representante de cada instituição terá dez minutos para apresentar o projeto e, após, abriremos para perguntas”, explica a professora da Escola de Administração e Negócios (Esan) e representante da UFMS na Rede UniSustentável, Rosamaria Cox Moura Leite Padgett.

Amazônia, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa serão os cinco biomas em destaque durante o Seminário, que se inicia às 8h30 (horário MS). “Vamos criar um ambiente de discussão sobre o papel das instituições de ensino superior na preservação desses cinco biomas. Além de ser uma vitrine para os projetos apresentados, queremos proporcionar um ambiente de troca entre os pesquisadores das diversas partes do país”, ressalta a professora Rosamaria.

O coordenador do programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal de Roraima, Valdinar Ferreira Melo, irá falar sobre a preservação da Amazônia. Mais especificamente, irá abordar as áreas de terras alteradas nos ambientes de florestas e savanas do estado, com uma avaliação dos níveis de alterações, diversidade biológica, alterações físicas e químicas do solo, e alternativas de uso das terras.  

Sobre a preservação da Caatinga, o presidente da Comissão de Gestão Ambiental do Câmpus de Belo Jardim do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, Marconi Feliciano da Silva, irá falar sobre a arborização e o reflorestamento com mudas nativas do bioma.

A preservação da Mata Atlântica será abordada pelo professor do Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rodrigo Lemes Martins. Ele irá falar sobre a integração da dimensão espacial, temporal e social no funcionamento e biodiversidade dos ecossistemas costeiros do Norte Fluminense.

No que tange à preservação do Pantanal, a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal da UFMS, Edna Scremin Dias, irá falar sobre o efeito do fogo e da inundação na biodiversidade deste bioma e suas implicações para o manejo de áreas protegidas na Bacia do Alto Paraguai.

A abordagem da preservação do Pampa será feita pelo professor dos programas de pós-graduação em Zootecnia e em Ciência Animal da Universidade Federal de Santa Maria, Eduardo Bohrer de Azevedo. Ele irá falar sobre estimativas nutricionais de ruminantes consumindo pastagens nativas do bioma. 

Segundo a professora Rosamaria, o público-alvo do Seminário é formado por pesquisadores e estudantes que se interessem pela temática ambiental e, em especial, relacionada com a conservação dos biomas brasileiros.

“A Rede UniSustentável vem crescendo. Atualmente, temos 20 instituições de ensino superior, representantes das cinco regiões brasileiras. O mais importante, essas instituições são muito ativas. Nossa meta é crescer mais, mas crescer com IES ativas, que participem dos grupos de trabalho, que sejam comprometidas a desenvolver suas práticas relacionadas à sustentabilidade, impactando as regiões nas quais estão inseridas”, comenta a professora da Esan.

Para participar do Seminário, não é necessária inscrição prévia. Haverá certificação. Mais informações podem ser obtidas aqui.

Fale com a Redação