Alunos Senar/MS. (Foto/Divulgação)

Estudantes do Curso Técnico em Agropecuária foram apresentados à metodologia, instalações e ao projeto Campo de Excelência

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural sw Mato Grosso do Sul (Senar/MS) recebeu no início desta semana, mais 60 novos alunos no Centro de Excelência em Bovinocultura de Corte, em Campo Grande. Na ocasião, eles foram apresentados às metodologias, instalações e ao novo projeto “Campo de Excelência”, com objetivo de atender às disciplinas práticas do Curso Técnico em Agropecuária.

O diretor da instituição, Francisco Paredes, deu boas-vindas aos novos estudantes e realizou uma palestra sobre o Senar, abordando o mercado de trabalho e a agropecuária no Estado. “É muito importante a presença dos alunos iniciando presencialmente o curso após um período complicado de pandemia. É um recomeço para nós e também para eles. Temos muita expectativa que, com o ensino híbrido e as aulas práticas agora no Campo de Excelência, tenhamos profissionais ainda mais capacitados para o mercado de trabalho”, afirmou.

Após a apresentação, o consultor técnico Gustavo Cavalca e a analista educacional Dyany Melchior explicaram sobre a capacitação, a unidade do Centro de Excelência, as plataformas online e as regras da instituição. 

A última etapa da aula inaugural foi realizada pelos estagiários da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, Breno Leite, Daise Adriane, Lucas Moreno e Gabriel Lucas e alunos de turmas anteriores ainda em curso, com a demonstração do Campo de Excelência. 

“É uma busca por aperfeiçoamento e conhecimento técnico. Eu já tenho experiência com a atividade em bovinocultura de leite, mas me mudei para Mato Grosso do Sul recentemente e percebi que existem aqui características regionais e entendi que o curso é um caminho para chegar ao conhecimento sobre o estado e ainda mais sobre o setor”, explica o estudante Lázaro Vinicius, 44.

Curso Técnico em Agropecuária 

Durante a capacitação os alunos vão conhecer os fundamentos do agronegócio, informática, relação interpessoal, noções de economia, matemática financeira e aplicada à agropecuária, segurança no trabalho, diagnóstico da empresa rural, administração, gestão, além dos temas técnicos sobre as cadeias as principais vertentes da cadeia produtiva que tem relação com a pecuária e também a comunicação.

O curso tem carga total de 1.400 horas, distribuídas em quatro semestres letivos. Somando à especialização são 1.700 horas. Objetivo da formação é oferecer qualificação de técnicos dos processos produtivos das atividades agropecuárias, gestão e planejamento, potencializando o desenvolvimento e a inovação no setor.

Comentários