Serviço de bordo da Azul: além da companhia, Gol e Latam já anunciaram a retomada do serviço em voos nacionais (Divulgação/Azul)

Todos os voos da empresa terão serviço de bordo completo a partir de 16 de junho

O serviço de alimentação a bordo de aviões será liberado em voos domésticos neste domingo (22), com snacks e bebidas à vontade, sem custo adicional, depois de dois anos de suspensão do serviço por causa da pandemia de covid-19. As companhias Gol e Azul informaram que retomarão o serviço hoje, enquanto a Latam voltará a oferecê-lo em 1º de junho.

Em nota, a Azul disse que vai retomar o serviço, a partir deste domingo (22), Já a Gol Linhas Aéreas anunciou que voltará a oferecer a comodidade gradativamente. Para os clientes da companhia, a distribuição dos itens se dará, inicialmente, nos voos a partir dos aeroportos de Congonhas (CGH) e de Guarulhos (GRU), em São Paulo. Em 1.º de junho, ela será ampliada para voos a partir do Rio de Janeiro (GIG/SDU), chegando a 100% dos voos no Brasil a partir de 16 de junho. No caso da Latam, o serviço estará disponível aos passageiros a partir de 1º de junho.

A Gol disse que, hoje, o atendimento ficará disponível em voos com origem nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos. Em 1º de junho, ele será disponibilizado em voos que saem de Brasília e Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão). A operação estará disponível em todos os voos domésticos da empresa a partir de 16 de junho.

“Seguindo as determinações da Anvisa por conta da pandemia da Covid-19, a Gol oferecia, desde dezembro de 2020, apenas água sob demanda nos voos nacionais”, informou. Em voos internacionais, o serviço de bordo da companhia já havia sido retomado em novembro de 2021.

Já a Latam informou que voltará a oferecer snacks e bebidas gratuitamente em voos domésticos a partir de 1º de junho. A empresa planeja operar 542 voos domésticos por dia neste mês.

A retomada será possível após decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) durante reunião no último dia (12). Segundo determinação da agência, está permitida a volta do serviço de bordo, a retirada da máscara apenas para alimentação e o retorno da capacidade máxima de passageiros no transporte para embarque e desembarque pela área remota.

A obrigatoriedade do uso de máscaras dentro do avião e nas áreas restritas dos aeroportos continua mantida, além do desembarque realizado por fileiras e os procedimentos de limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies. O distanciamento físico continua recomendado, sempre que possível. 

Comentários