O Sebrae-MS (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) anunciou nesta segunda-feira (12), que o mais recente e promissor segmento das Startups, passou a contar com página exclusiva no portal do Sebrae. O portal terá ambiente que disponibilizará cursos, vídeos e iniciativas que apoiam o desenvolvimento desse segmento.

A analista de competitividade inovação do Sebrae, Cristina Mieko, detalha que o portal de startups permitirá que as empresas tenham acesso a conteúdos, cursos, vídeos informativos, inciativas estaduais e nacionais que apoiam o desenvolvimento do empreendedor e do negócio. “O objetivo desse ambiente é ser um local para as startups do Brasil saberem o que o Sebrae oferece a elas e permitir que os empresários tenham conhecimento de projetos nacionais e internacionais. Com essa página, criamos um ambiente de capacitação e conexão das startups”, comenta a analista.

Segundo Cristina, o novo espaço da instituição contará além das capacitações oferecidas, também com disponibilidade de: curadoria de cursos para o desenvolvimento do negócio, vídeos em linguagem interativa e diversas iniciativas para desenvolvimento de startups, como por exemplo o InovAtiva Brasil, StartOut Brasil, Capital Empreendedor e Sebraelab. Além dos grandes eventos para o ecossistema: Startup Day e Startup Summit. “No ambiente também podem ser encontradas informações sobre o Capital Empreendedor, programa oferecido pelo Sebrae para ajudar as startups a conseguirem investimentos”, revela a analista.

Na página há um ambiente para ajudar as startups a acessarem o mercado internacional e divulgação de eventos nacionais e internacionais. Pensando em conexão das startups com o mercado, na página é possível acessar oportunidades e eventos nacionais e internacionais que ao mesmo tempo que permitem que o empreendedor se capacite, ajudam na construção de conexões com possíveis investidores e parceiros. O ambiente disponibiliza editais de inovação e caso os empreendedores se interessem por um projeto nacional, estadual ou internacional, ele será direcionado para um atendimento continuado.

Para acessar o ambiente das startups no porta do Sebrae, clique aqui.

Histórico

Fenômeno recente na história, as startups estão renovando mercados e, em alguns casos, desafiando os modelos existentes. Além de criar novas tecnologias, muitas observam uma inovação e desenvolvem outras maneiras de utilizar aquele conhecimento. Com seu crescimento, viram empresas influentes e de sucesso, e chegam a mudar alguns paradigmas importantes. Um exemplo conhecido para quem vive em grandes cidades é a norte-americana Uber, prestadora de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano que começou como uma startup em 2009 e hoje opera em mais de 600 centros urbanos pelo mundo com um faturamento em cerca de 10 bilhões. Hoje a empresa mudou a forma dos brasileiros de se relacionar com o transporte coletivo.

O Brasil é hoje o 13º melhor ecossistema do mundo para startups, segundo pesquisa do instituto Startup Genome. De acordo com a StartSe, o maior banco de dados de startups do país, existem atualmente em seu cadastro mais de 9 mil startups registradas. Esse número pode ser ainda maior segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), que aponta para algo entre 10 e 15 mil espalhadas pelo país, levando em conta a falta de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) para boa parte delas, que ainda se encontram em fase inicial.

Nessa lista estão desde gigantes do mercado brasileiro, como a iFood, presente em mais de 100 cidades do Brasil e dona de uma cartela com mais de 5.000 restaurantes, até startups menos conhecidas, mas tão criativas quanto, caso da SysHaus, desenvolvedora de uma casa inteligente e sustentável que fica pronta em apenas 6 meses.

Apesar de concentradas na região sudeste, onde está o maior número de startups brasileiras, com São Paulo respondendo por 43%, Minas Gerais por 12% e Rio de Janeiro por 9.7%, a cidade com o maior número de startups por habitantes é Florianópolis, casa de negócios inovadores, como a RD (Resultados Digitais), startup de marketing digital que em sete anos já opera com 600 colaboradores atendendo a 20 países, e a Agriness, que oferece soluções tecnológicas para 90% dos produtores de suínos do Brasil. 

De acordo com o Censo StartSe 2017, os três setores com mais startups no país são tecnologia da informação, comércio e varejo e educação. E dentro de cada uma delas a idade média dos fundadores é de 33 anos, gerenciando equipes formadas por 58% de colaboradores de perfil técnico e 42% com perfil business.

Comentários