Ex-prefeito Alcides Bernal

Alcides Bernal tem mais de R$ 16 milhões bloqueados

A pedido do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), por meio do procurador de Justiça Aroldo José de Lima, o ministro relator do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves, restabelecendo a decisão de primeiro grau, deferiu o bloqueio de bens na quantia de R$ 16.089.933,42 em desfavor do ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Jesus Peralta Bernal, para garantir a indenização dos prejuízos causados ao Município de Campo Grande, pelas supostas práticas de atos de improbidade administrativa.

Ao analisar o AREsp nº 1422248/MS, o Ministro exerceu juízo de retratação do entendimento anteriormente adotado, fixando o entendimento consolidado da Corte, no sentido de que: “A indisponibilidade de bens deve ser deferida sempre que presentes fortes indícios da prática de atos de improbidade administrativa”, conforme precedente repetitivo (REsp 1.366.721/BA), não incidindo, assim, qualquer impedimento sumular daquele Tribunal.

O caso veio a público após a 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social de Campo Grande, por meio do Promotor de Justiça Adriano Lobo Viana de Resende, ajuizar Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Campo Grande, visando à decretação da indisponibilidade de bens, para garantir a indenização dos prejuízos causados aos cofres públicos municipais por conta da contratação de “funcionários fantasmas” e de pagamentos em duplicidade nos convênios do Município de Campo Grande com as entidades Seleta e Omep durante os anos de 2012 a 2016.

A decisão ainda é passível de recurso.

Comentários