Divulgação

A taxa de letalidade subiu para 1.7% em Mato Grosso do Sul conforme dados oficiais da Secretaria de Estado de Saúde (SES). “Até ontem estava 1,6%. Já tivemos abaixo de 1%, mas tem crescido a cada dia. Mostra que ainda precisamos fazer muito para cessar o crescimento da doença aqui no estado”, declarou o secretário Geraldo Resende durante abertura da live desta terça-feira (11).

Nas últimas 24 horas foram confirmados 21 óbitos em decorrência da doença, sendo 10 em Campo Grande e cinco em Corumbá. Vicentina, Três Lagoas, Aquidauana, Naviraí, Porto Murtinho e Sidrolândia registraram um óbito cada. Desse total, quatro constam nos dados oficiais como nada relatado, e os demais possuem fatores de risco e comorbidades.

Taxa de letalidade sobe para 1,7% em MS; Isolamento social registra queda

O mês de agosto já registra 136 vidas perdidas em decorrência da Covid, sendo 58 delas em Campo Grande. A média móvel dos últimos 7 dias no Estado está em 13,9 casos dia, e na Capital esse indicador é de 6,4 casos.

O número de casos confirmados ontem foi de 823, que representa um acréscimo de 2,6% ao quadro geral que possui 35.526 infectados desde o início da pandemia. As cinco cidades com maior número de casos positivos para o dia são: Campo Grande (323), Aquidauana (84), Sidrolândia (58), Miranda (28) e Corumbá (24).

O detalhamento do boletim pode ser acessado aqui

Isolamento social em queda favorece avanço das estatísticas da Covid em MS

Embora haja aumento de casos e óbitos, Mato Grosso do Sul abriu a semana com a taxa de distanciamento social na casa dos 35%, sendo o 6° estado com pior isolamento. O índice mantém a queda registrada em agosto, que no mesmo dia da semana passada foi de 36,7%. Para se ter uma ideia a média das segundas-feiras do mês de julho é de 37,6%.

Taxa de letalidade sobe para 1,7% em MS; Isolamento social registra queda
Taxa diária de isolamento social em Campo Grande desde 1° de julho

O mapeamento por geolocalizador de celular também aponta que a segunda-feira (10) em Campo Grande foi de alta movimentação. A cidade tem a 3° pior taxa entre as capitais brasileiras com índice de 35% para esta segunda-feira.

Nos municípios do interior a taxa média de pessoas que permaneceram em casa varia entre 26,1% registrado em Novo Horizonte do Sul a 51,4% mapeada em Figueirão. Faça o download da relação completa de cidades sul-mato-grossenses aqui.  

Mireli Obando, Subcom

Comentários