Sede do TJMS (Foto: Edemir Rodrigues)

Os servidores públicos estão retornando a rotina normal de trabalho nas sedes ou locias de trabalho presencial. O governo do Estado já retornou, a prefeitura de Campo Grande, já vem fazendo retorno e nesta segunda-feira, 2 de agosto, conclui a volta de todos. Assim, também a partir desta segunda-feira, os servidores do Poder Judiciário, mas vacinados, retornam ao trabalho presencial. Contudo, este retorno tem todas as regras de biosegurança, veja abaixo, e que servem ao público.

O TJ-MS (Tribunal de Justiça de MS), divulgou que aqueles que estão em teletrabalho em razão do Plantão Extraordinário e que receberam dose única ou a última dose da vacina para o coronavírus há mais de 15 dias, deverão retornar ao trabalho presencial.

A direção do TJ lembra que foi publicada no Diário da Justiça do dia 20 de julho, a Portaria n. 2.077, que considera a necessidade de o Tribunal de Justiça continuar prestando serviços judiciários de forma ininterrupta, além do fato de que o Estado de Mato Grosso do Sul é um dos locais com maior sucesso na vacinação da população.

Desde o início da pandemia de Covid-19, o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul vem implantando diversas ações de biossegurança e medidas de prevenção para evitar o contágio pelo coronavírus na retomada dos trabalhos no formato presencial”, lembra nota do TJ.

Regras a serem cumpridas

O uso de máscaras é obrigatório e, quando da retomada presencial na primeira etapa, com 30% do efetivo em setembro de 2020, cada servidor recebeu um kit de máscaras de tecido reutilizáveis. Em diversos pontos, em todos os prédios do Judiciário, foram instalados dispensers com álcool em gel. Também foi disponibilizado álcool em gel nos banheiros.

Já para adentrar aos prédios do Poder Judiciário Estadual, os públicos interno e externo são obrigatoriamente submetidos às regras de segurança previstas no Plano de Biossegurança, respeitando também os protocolos sanitários expedidos pelas autoridades locais de cada Comarca, como a descontaminação de mãos, com utilização de álcool 70º e a aferição de temperatura corporal como condição para ingresso e permanência nos prédios.

Além disso, é vedado o ingresso de pessoas sem máscaras faciais, que apresentem alteração da temperatura corporal (igual ou superior a 37º C) ou que se recusarem a se submeter aos métodos preventivos.

Comentários