“Não cobiçar a mulher do próximo”, já diz o mandamento religioso. E para Admir Acosta, 54 anos, não lhe custou como mais um pecado nas costas e sim a vida. Ele, após ser descoberto pelo marido traído, foi atropelado e morto esfaqueado pelo esposo de sua amante. O assassinato a facadas depois do atropelamento ocorreu em Corumbá, Cidade Branca, capital do pantanal, a 444 KM de Campo Grande. O crime aconteceu por volta das 19 horas desta quarta-feira (13), fim do feriadão.

O crime de homicídio qualificado e por motivo torpe, aconteceu na frente da então esposa titular de Admir, que acionou a polícia. Mas, o suspeito fugiu e não foi encontrado.

A esposa de Admir disse aos policiais que eles, o casal, haviam feito uma limpeza na residência do casal e que o marido estava jogando o entulho em um terreno próximo, quando um carro passou e atropelou a vítima. Após o atropelamento, o suspeito desceu do carro e esfaqueou Admir no pescoço.

A esposa da vítima disse que o crime seria passional, já que o marido teria tido um relacionamento extraconjugal com a mulher do autor. 

Comentários