Ao todo, são 920 vagas para 39 cursos de mestrado e 370 vagas para 18 cursos de doutorado

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) está com inscrições abertas para ingresso em 57 cursos de mestrado e doutorado. As aulas terão início no primeiro semestre de 2022.

São quase 1.300 vagas distribuídas pelos 39 Programas de Pós-Graduação (PPGs) dos câmpus de Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá, Chapadão do Sul e Aquidauana. Ao todo, são 920 vagas para 39 cursos de mestrado e 370 vagas para 18 cursos de doutorado.

As inscrições devem ser realizadas pelo site posgraduacao.ufms.br e a efetivação somente ocorrerá após o pagamento da taxa, no valor de R$ 120. Candidatos que se encaixam nos requisitos para solicitar isenção de pagamento, devem requerer até no máximo 22 de dezembro; e pessoas inscritas no CadÚnico são isentas do pagamento.

A pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Maria Ligia Rodrigues Macedo, ressalta que esta é uma boa oportunidade para os que desejam investir na pesquisa e no conhecimento acadêmico de qualidade. “A UFMS busca o fortalecimento da pesquisa e da pós-graduação no nosso estado de Mato Grosso do Sul, e, consequentemente, fomenta pesquisas em áreas estratégicas para o desenvolvimento institucional e global. Com isso, a gente consegue gerar novos conhecimentos que vêm consolidando a pesquisa e a pós-graduação no estado e no Brasil, uma vez que nós somos uma das melhores e mais bem conceituadas instituições do nosso país”, afirma.

As etapas da seleção serão on-line, para que mais pessoas interessadas possam participar, democratizando, assim, o acesso ao Ensino Superior público, gratuito e de qualidade. “Nessa seleção será utilizado o Ambiente Virtual de Aprendizagem e outras Tecnologias da Informação e Comunicação, para que as etapas de seleção dos cursos sejam feitas de forma remota e consigamos atingir o maior número de candidatos possível. A nossa ideia é oportunizar e democratizar a seleção para o público local, mas também para o públicos de várias outras regiões do país e do exterior”, explica a pró-reitora.

Comentários