(Foto: Rozembergue Marques/EnfoqueMS)

O supermercado Extra fechou as portas em Dourados no final de fevereiro de 2020. O empreendimento do grupo Pão de Açúcar foi inaugurado em 2010 num espaço de quase 6 mil m² de área construída na avenida Marcelino Pires, em frente ao terminal rodoviário. Na época, o investimento foi de R$ 18 milhões. Enquanto estava em atividade o prédio imponente, que ocupa um quadrilátero inteiro de uma área central da cidade, foi uma espécie de “cartão postal”, sobretudo porque próximo ao Shopping Center e à Rodoviária.

Unidade desativada do Extra vira “cartão postal negativo” em Dourados

Com o fechamento, o cenário literalmente se inverteu: o local virou uma espécie de “cartão postal negativo”. As laterais do prédio estão tomadas pelo matagal, como destaca a notificação número 29261, enviada pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SemSur) à sede do grupo em São Paulo no dia 28 de janeiro/2021, em que o EnfoqueMS teve acesso, que reforça também que a situação descumpre a Lei Municipal 1067/79 (Código de Posturas).

A notificação, determinada pelo secretário Romualdo Diniz, estabeleceu prazo de 10 dias para limpeza.

Como esse prazo já expirou, o provável é que a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos cumpra outro dispositivo do Código de Posturas: os artigos 170 e 174 do Código preveem que, na omissão do proprietário/responsável, os serviços sejam executados pela Prefeitura e cobrados, acrescido de 10% do valor a título de administração. Em caso de reincidência, a multa tem valor dobrado. A multa é de quase R$ 2 mil.

Além do péssimo aspecto urbanístico, o “cartão postal negativo” é um potencial criadouro do mosquito da dengue, que ao lado da Covid-19 tem preocupado as autoridades de saúde do município por conta do crescente aumento do número de casos.

Em resposta, a assessoria de comunicação do grupo Pão de Açúcar, informou que o prédio é alugado e esta em processo de devolução ao dono e será providenciado a limpeza, enquanto isso. “A rede informa que o prédio onde funcionava a loja em Dourados é alugado e está em processo de devolução ao proprietário. Até que esse processo seja concluído, a limpeza exterior das dependências está sendo providenciada e deve ser realizada em breve”, destacou a nota.

Por: Rozembergue Marques

Comentários