Professores durante a triagem para imunização na terça-feira (Foto: Assecom)

Após o esquema vacinal, Dourados fará um diagnóstico da educação

Sem aulas presenciais há mais de um ano, os prejuízos para as famílias vão além do déficit educacional. Sem escolas e Ceims (Centro de Educação Infantil Municipal) muitos chefes de família perderam oportunidades de trabalho. O desemprego e a fome se fizeram presente em muito lares.

A vacinação para professores iniciou nesta semana em Dourados, com a inclusão da categoria do cronograma de imunização, a prefeitura pretende retomar as aulas no município. Para o promotor de justiça, Luiz Gustavo Camacho Terçariol, a medida é um alento. “É uma esperança, é um anseio da categoria, mas também um anseio da sociedade, dos pais, das mães, e também de toda a coletividade, porque a escola, todos nós sabemos é maçante esse conceito, mas é o futuro do país. A gente passar em frente dos estabelecimentos de ensino do município, do estado, e verificarmos que eles estão fechados há mais de ano, não contemplando a sua finalidade, é triste”, declarou.

Ainda segundo Terçariol, a vacinação permite o retorno, principalmente das mães, ao mercado de trabalho. “A gente sabe que a fome, o desemprego, a dificuldade financeira assolou muitas famílias com essa pandemia. E com o retorno das atividades escolares, isso vem amenizar para as famílias, as famílias deixam os seus filhos nas escolas e conseguem, de alguma forma, procurar emprego conseguir um sustento extra para os seus lares”.

Para o prefeito Alan Guedes a imunização representa esperança. “Precisamos retornar, mas precisamos fazer isso de forma segura, com critérios bem definidos e com planejamento. A vacinação é uma esperança para que possamos planejar essa volta e sabemos que é uma expectativa de todos”, pontuou.

Após o esquema vacinal, o primeiro passo será fazer um diagnóstico da educação, dos alunos. “Precisamos saber como estão essas crianças e adolescentes, fazer o acolhimento e entender qual estágio de aprendizagem, para então reformularmos nossas ações”, explicou a secretária municipal de Educação, Ana Paula Benitez Fernandes.

“A volta às aulas tem um significado simbólico muito importante que é recuperar o provável e possível déficit de aprendizagem que nós vamos ter com as nossas crianças. Precisamos criar ferramentas de aprendizagem e metodologias novas pra poder recuperar esse tempo perdido. Então, é fundamental que a rede se articule com outras redes municipais, estaduais e, inclusive, com tudo que o Ministério da Educação tem provido de ferramentas para poder trazer novas metodologias e ferramentas para nossa rede”, declarou o secretário de Governo e Gestão Estratégica do município, Henrique Sartori.

Comentários