24 C
Campo Grande
terça-feira, 25 de junho, 2024
spot_img

Vereador preso: MPE com ‘Laços Ocultos’ cumpre 50 mandados em municípios de MS e estado de SC

A manhã de quinta-feira (16), pós dia de folga/feriado no meio da semana, foi ou está sendo frenética em ao menos quatro municípios de Mato Grosso do Sul, com a deflagração de mais uma operação, a ‘Laços Ocultos’, do MPE-MS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul), via seus dois grupos especializados no combate ao crime organizado. A ação visa cumprir 50 mandados de prisão e buscas em municípios de MS, com extensão até ao estado de Santa Catarina.

A ‘Laços Ocultos’ seria para agir nas ruas em buscas de provas, principalmente, ‘mirando’ vereador e servidores de municípios, em operação que investiga fraudes em licitações. Segundo MPE, a operação tem como objetivo o cumprimento de seis mandados de prisão preventiva e 44 mandados de busca e apreensão, nos Municípios de Amambai, Campo Grande, Bela Vista, Naviraí e Itajaí/SC.

O MPE, via Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção), foram, entres buscas a secretário e servidores da prefeitura de Amambai e vereadores. Já teria até um vereador sido preso, sendo o líder do Prefeito na Câmara de Amambai, Valter Brito.

Vereador preso: MPE com 'Laços Ocultos' cumpre 50 mandados em municípios de MS e estado de SC
Material e muito dinheiro em espécie apreendidos (Fotos: divulgação MPE-MS)

“A investigação foi iniciada pela 1ª Promotoria de Justiça de Amambai, e desdobrada pelo GECOC, apurando a existência de organização criminosa voltada para a prática dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, fraude em licitações e contratos públicos, e lavagem de dinheiro”, anunciou o MPE-MS.

“Autoridades

Segundo o MPE, dentre os alvos estão dois vereadores, quatro secretários municipais, servidores públicos e empresários. Um dos presos, é líder do Prefeito na Câmara Amambaiense, Valter Brito.

Segundo levantamentos, a organização criminosa atua há anos fraudando licitações públicas que possuem como objeto a contratação de obras e serviços de engenharia no Município de Amambai e outros.

O uso, é principalmente por meio de empresas ligadas a familiares, com sócios até então ocultos. Nos últimos seis anos, os valores dos contratos obtidos pelo grupo criminoso ultrapassam 78 milhões de reais.

“Perícias de engenharia, em obras vistoriadas presencialmente pelo corpo técnico, detectaram superfaturamento e inexecução parcial, assim como análise realizada por órgão técnico do Ministério Público identificou pagamento de propina das empresas integrantes do grupo criminoso em benefício de agentes políticos e servidores públicos municipais responsáveis pela fiscalização das obras”, informou o MPE, em nota

Forças policiais

A operação contou com apoio operacional do Batalhão de Choque, do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e da Força Tática, todos da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.

O nome ‘Laços ocultos’, decorre do oculto vínculo apurado entre os investigados.

Vereador preso: MPE com 'Laços Ocultos' cumpre 50 mandados em municípios de MS e estado de SC
Material e muito dinheiro em espécie apreendidos (Fotos: divulgação MPE-MS)
Fale com a Redação