Um motorista de uma caminhonete Toyota Hilux, tentou fuga por várias ruas de Campo Grande, na tarde de ontem (21), de uma equipe do Batalhão de Choque da Polícia. Ele só parou após bater em um muro e em uma outra caminhonete. O condutor, também, tentou jogar o veículo contra um dos policiais.

Segundo boletim de ocorrência, policiais militares Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas do Batalhão de Choque estavam em rondas pela Avenida Duque de Caxias quando avistaram o uma caminhonete Toyota Hilux avançando o sinal vermelho na esquina com Avenida Ludio Martins Coelho.

Ao ser dada a ordem de parada, o motorista passou a avançar vários semáforos fechados. Ao chegar no cruzamento da Avenida Ludio Martins Coelho com Rua Petrópolis acabou colidindo com dois veículos que estavam parados no sinal, sendo um GM Cruze e um VW Virtus.

Mesmo assim, o condutor da Hilux deu continuidade a fuga, entrando pela Rua Petrópolis e em ato continuo, acessou a Rua Maria Clara Machado vindo a bater violentamente contra o portão da residência, quebrando parte do muro e destruir um portão de elevação.

Imagens de câmera de segurança flagraram o momento da colisão. Confira:

Os policiais determinaram que o homem saísse da caminhonete, porém ele fez uma manobra de ré, na tentativa de atingir um dos militares, que acabou apenas a motocicleta onde ele estava.

Em continuidade, o condutor tentou nova fuga, porém veio a colidir com uma caminhonete GM S-10. Neste momento os militares conseguiram abordar e deter o autor.

Questionado, o homem contou que pegou o veículo do proprietário, como forma de penhora de uma dívida no valor de R$ 200 mil. Para isso ele teria cobrado o devedor e como não conseguiu o dinheiro, utilizou-se de uma faça para subtrair as chaves da Hilux.

O autor acabou preso pelos crimes de desobediência; tentativa de homicídio (por jogar o veículo contra os policiais); dano (nos veículos, no muro e portão); conduzir veiculo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool; direção perigosa na via pública e por roubo.

Comentários