(Foto: Reprodução)

A motoentregadora Vitória Batistina de Souza Silva, de 20 anos, foi atacada e ameaçada com um facão por um idoso, de 67 anos, enquanto tentava realizar uma entrega em um condomínio localizado na Rua José Domingos Baldasso, no Bairro Parque Alvorada, ontem (14), em Dourados. Vídeo feito por um morador mostra o autor realizando as agressões, após ela ter estacionado a moto em cima da calçada.

De acordo com boletim de ocorrência, registrado na Polícia Civil, ela conta que o homem saiu da guarita do condomínio iniciou uma discussão com ela, depois de ter estacionado a motocicleta na calçada, onde entregaria um panettone encomendado por um morador. Segundo a jovem, ela teria sido agredida com socos, tapas e empurrões dados pelo porteiro, antes de um dos moradores começar a filmar as agressões por celular.

Em determinado momento o homem voltou ao prédio e retornou com o facão, quando no vídeo gravado pelo morador, a motoentregadora diz “vai me matar, vai me matar porque eu estou trabalhando?”, no momento em que desce da moto, para tentar se afastar do autor.

Na sequência o agressor tira a moto da calçada e mais de uma vez, ameaça acertar Vitória com o facão. “Me fura, me fura, eu to trabalhando”, repete a Vitória na frente do homem.

Assista:

Assustada, Vitória deixou o local sem entregar a encomenda do cliente.

Após a confusão ela diz ter ouvido comentários de que o idoso é morador no prédio e não porteiro, mas não conseguiu confirmar a informação. A esposa do homem teria entrado em contato com ela para pedir desculpas.

Segundo a vítima, o homem ainda disse outras ofensas durante o ocorrido. “Me falou que eu era um animal porque não ouvi ele. E que eu tinha que respeitar porque ele também era morador do prédio. Que eu não sabia que ali era um outro nível de vida e eu deveria respeitar, porque ele era mas que eu, e por eu parecer um menino eu aguentava apanhar igual a um também”.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) de Dourados e o autor da ameaça e vias de fato foi identificado no boletim de ocorrência. Hoje (15), a motoentregadora também vai à Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) formalizar o caso.

Comentários