As exportações de soja em grãos, por Mato Grosso do Sul, no acumulado de janeiro e junho de 2020, totalizaram 3,2 milhões de toneladas e receita a US$ 1 bilhão. Comparado ao mesmo período do ano passado, o resultado representou alta de 43,7% no volume e 38,1% no faturamento. Os dados foram apresentados no Boletim Agrícola do Sistema Famasul divulgado semanalmente. Este é o assunto da editoria #MercadoAgropecuário desta segunda-feira (20).

A China foi o principal destino das exportações de oleaginosa do estado até junho de 2020, respondendo por US$ 875 milhões, ou 81,05% do total. O volume total de exportações para esse país somou 2,5 milhões de toneladas. O segundo lugar no ranking de compradores dos grãos sul-mato-grossenses é a Argentina com 9,07% da receita total.

Na avaliação da analista técnica do Sistema Famasul, Bruna Dias, a alta mostra crescente que segundo ela, é progressiva. “A China está formando um estoque de grãos, proteínas e outros itens, para garantir a segurança alimentar. A iniciativa se deve a retomada da economia chinesa após o pico da pandemia e, também, em decorrência dos impactos nos plantéis, devido a peste suína africana.”

O impasse entre o país asiático e os Estados Unidos tem favorecido a demanda pela soja brasileira. Mas a valorização do dólar em relação ao real e a supersafra, aumentam a competitividade do Brasil em meio a demanda internacional.

Mato Grosso do Sul ficou na sexta posição do ranking nacional de exportação da oleaginosa, com uma marca de 3,2 milhões de toneladas correspondendo a 5,26% na participação.

Desafios e Oportunidades para a cadeia produtiva da agricultura no estado é o tema da live transmitida pelo Sistema Famasul/Senar que acontecerá nesta terça-feira (21), às 18h no Canal Youtube e também no Facebook.

Confira o Boletim Agrícola na integra aqui

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Ellen Albuquerque

Comentários