Campanha nacional Sinal Vermelho conta com os 174 Cartórios sul-mato-grossense para prestar auxílio discreto e sigiloso às mulheres em situação de vulnerabilidade (Foto: Agência Brasil)

A campanha brasileira do ‘X’ para ajudar no combate a violência contra a mulher, ajudou em Mato Grosso do Sul, não exatamente uma cidadã do Brasil, mas mostra que funciona quando há um pedido de socorro velado, mais urgente. Assim, uma mulher do Equador, residindo em Corumbá, entregou um bilhete com pedido de socorro para funcionária de um banco, fazendo com que o marido então fosse preso na tarde de quarta-feira (10), no município Pantaneiro, a 430 km de Campo Grande. Além de ser descoberto um agressor de mulheres e criança, próprio filho, o acusado seria um criminoso fugitivo do pais próximo ao Brasil, mas não* fronteiriço a nosso território.

O então marido, também um equatoriano, de 39 anos, foi preso ontem, após uma ação realizada pelas Polícias Civil e Federal, após ele ser acusado pela esposa de cárcere privado e ameaça.O homem foi denunciado pela mulher, de 36 anos, quando foram em uma agência bancária da cidade. A vítima entregou escondido para uma atendente um bilhete pedindo socorro e informando que era vítima de violência doméstica.

Após ler o bilhete, a funcionária da agência bancária acionou a Polícia Civil que com o apoio da Polícia Federal foi ao banco para apurar a denúncia envolvendo o casal de estrangeiros. No local, a vítima relatou que o homem a mantinha presa em um hostel, em Corumbá, junto com o filho do acusado, menor de idade.

À policia, a equatoriana relatou que ela e o filho eram proibidos de sair e sofriam ameaças constantes. O menino era mantido trancado e, ameaçdao de morte. “O próprio pai ameaçava matar a criança caso tentasse pedir socorro. Após ouvir os relatos da vítima desesperada, os agentes da PF foram ao hostel indicado pela mulher e encontraram o menino, de 9 anos, sozinho e trancado no quarto”, registrou a PC, que investigará o caso

Criminoso fugitivo

O caso que será investigado pela Polícia Civil de MS, também ajuntará ao processo que pode se tornar Nacional, pois já foi apurado que o homem é de alta periculosidade e procurado por crime de homicídio no Equador. Ele teria até um mandado de prisão contra ele.

** Somente Chile e Equador não possuem fronteiras com o Brasil.

Comentários