Os dois assaltantes que mataram pai e filho em uma fazenda no município de Amambai na última sexta-feira (14), continuam a ser procurados pela polícia, que tem supostas pistas que eles estariam na Aldeia Taquapiri, no município vizinho de Coronel Sapucaia. As cidades são no interior extremos sul de Mato Grosso do Sul, região de fronteira do Estado com o Paraguai, que ficam de 356 a 394 km de Campo Grande. Fotos deles circulam em grupos do aplicativo WhatsApp, que aponta também que eles seriam ex-funcionários da fazenda, e que foram reconhecidos por umas das vitimas, executada por este motivo.

A policia local, que teve ainda na sexta-feita, reforço de PMs em terra e pelo ar com helicóptero , teria informação que a dupla acusada seria ex-funcionários da propriedade, sendo Siguinaldo Gonçalves (foto acima) e o outro menor de 18 anos, que não podemos nominar, mas que já foi identificado pela policia. Ambos teriam sido reconhecidos por uma das vítimas, Antônio Nunes da Silva, 23 anos, o filho do fazendeiro Olenir Nunes da Silva, que morreu primeiro, em troca de tiros com os bandidos. Antônio foi então assassinado por consequência de saber quem seriam os bandidos.

Informações não oficiais indicam que os dois latrocidas teriam sido identificados após denúncia de uma mulher interessada na recompensa de R$ 50 mil oferecida pelos familiares das vítimas. Ela teria reconhecido a pistola calibre 7,65 encontrada na caminhonete roubada da fazenda. O veículo foi abandonado pelos assaltantes após sofrerem acidente. Já a pistola teria sido vendida pelo ex-marido dessa mulher para um dos criminosos.

As informações está sendo investigada pelos policiais que participam das buscas aos assassinos. Na tarde desta terça-feira (18), também surgiram boatos de que os dois teriam sido capturados pelas lideranças da aldeia e seriam entregues aos policiais, mas a informação ainda não foi confirmada pela Polícia Civil.

Comentários