Fogo já destruiu extensa área de vegetação nativa na região da Serra do Amolar, Norte de Corumbá. IHP

Os bombeiros conseguiram controlar um incêndio de grandes proporções no Pantanal da Nhecolândia, a Leste de Corumbá, evitado uma devastação dos campos, pela força das chamas, e mais prejuízos aos proprietários e ao meio ambiente. Apesar do intenso combate, durante três dias, no entanto, o fogo consumiu mais de dois mil hectares de duas fazendas.

“Se não fosse a ação deles (bombeiros), com certeza teria queimado tudo. Tivemos duas invernadas 100% consumidas e a fazenda do lado, a Paiol, de onde veio o fogo, foi devastada”, relatou Maria Regina Zanetti Sebben Camponez, proprietária da Fazenda Ita, situada na confluência dos pantanais da Nhecolândia e Paiaguás.

Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares no Pantanal
Fumaça do incêndio na Nhecolândia vista da ponte sobre o Rio Paraguai, na BR-262. Foto: Sílvio de Andrade

Nove bombeiros atuam no trabalho de campo para debelar as chamas, com o apoio dos peões e maquinários das fazendas. O acesso por terra, via MS-228 (Curva do Leque) e estradas boiadeiras, contribuiu para uma ação mais rápida, informou o tenente-coronel bombeiro Frederick Caldeira, que coordena as operações antifogo do Corpo de Bombeiros em Corumbá.

“Graças ao excelente trabalho e auxílio dos bombeiros e a estrutura das fazendas conseguimos controlar a extensão do fogo, evitando o pior”, conta Maria Regina. A fazenda Conquista, vizinha da Ita, se resguardou fazendo aceiro e auxiliou no combate aos incêndios cedendo seu maquinário. Na Ita, o fogo queimou cerca de 800 hectares, e na Paiol, 1.300 hectares.

Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares no Pantanal
Bombeiros e brigadistas fazem aceiro no Amolar

Vigilância permanente

Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares no Pantanal
Fogo reacendeu na região da Baía Negra, Serra do Amolar

Além das equipes que estão combatendo os focos de calor na Nhecolância e na Serra do Amolar, onde nove bombeiros atuam ao lado dos brigadistas do PrevFogo para controlar os incêndios na beira do Rio Paraguai e da morraria, o Corpo de Bombeiros mantém dez homens e quatro viaturas para atender casos emergenciais no entorno de Corumbá.

O tenente-coronel Caldeira informou que há um alerta permanente devido a ocorrência de focos de calor na fronteira com a Bolívia, a Oeste da cidade, que amanheceu neste sábado (8/8) sem o incômodo da fumaça e fuligem. Uma equipe deslocou-se para a região da Estrada-Parque (MS-228/MS-184) para vistoria dos focos de calor e trabalho de educação ambiental

Comentários