14.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 12 de julho, 2024
spot_img

Confira 5 dicas para estudar no exterior

Com a retomada do ano letivo, os alunos dos anos finais do Ensino Médio já se preparam para os processos seletivos de ingresso ao ensino superior. Para muitos, o sonho é o de ser aprovado numa universidade estrangeira e cursar uma graduação em outro país. O processo de preparação e estudo exige disciplina, foco e esforço.

“A experiência de imersão em outra cultura amplia a nossa visão de mundo e nos faz pensar em outras possibilidades para nossa vida acadêmica e profissional”, diz José Carlos Pereira, diretor do Colégio Marista Alexander Fleming de Campo Grande.

Para ele, ainda que possa parecer muito difícil, estudar fora é possível, desde que haja esforço, foco e planejamento. “Acredito que para ser aprovado num processo seletivo no exterior, o aluno precisa antes de mais nada se planejar. Outras metas são as de manter uma boa média acadêmica, ter nível alto de inglês ou do idioma do país no qual quer estudar e realizar atividades extracurriculares, que contam muito lá fora”, explica.

5 dicas básicas para ser aprovado por uma universidade estrangeira

1. Faça um bom planejamento – Analise as opções disponíveis em todo o mundo que oferecem a disciplina que deseja estudar e os requisitos necessários para o ingresso na universidade.

2. Prepare-se bem – Mantenha uma boa média acadêmica em todas as matérias, conhecida por GPA – Global Performance Average, especialmente no Ensino Médio. Quanto mais prestígio tiver a universidade, maior é a exigência em relação à GPA.

3. Participe de atividades extracurriculares – Seja engajado em causas e ações e mantenha atividades fora da grade convencional. As instituições de ensino superior estrangeiras se preocupam com a formação integral do aluno e, para elas, ser um bom aluno não é apenas tirar notas altas, mas ser ter uma participação ativa na sociedade durante a vida acadêmica.

4. Domine o idioma estrangeiro – Tenha sólido domínio do inglês ou do idioma do país em que deseja estudar. Esses conhecimentos devem ir muito além de conseguir se comunicar de forma rotineira no idioma. É imprescindível uma formação sólida que habilite o aluno a ser fluente e independente para ter bom aproveitamento do seu curso superior.

5. Conte com suporte qualificado – Lá fora, as universidades avaliam o histórico escolar do aluno ao longo do ensino médio, sua participação em projetos e atividades extracurriculares, além de cartas de indicação e diversos outros critérios que podem mudar de uma instituição para outra. Por isso, é importante contar com apoio e aconselhamento de profissionais qualificados.

Sobre os Colégios Maristas

Os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 22 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica.

Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br

Fale com a Redação