(Foto: PMCG)

Dois dias antes do prazo final, a Prefeitura de Campo Grande conseguiu evitar a greve dos motoristas do transporte coletivo da Capital. O Município confirmou a isenção do ISS, que corresponde a 5% do valor da tarifa, vai arcar com os valores referentes ao passe dos alunos da Rede Municipal de Ensino, que equivale a 14,62% da gratuidade, e pagar a tarifa técnica de R$ 5,15 para Serviços Públicos. A tarifa de ônibus terá reajuste de 0,20 centavos a partir da próxima segunda-feira (17).

Com reajuste de 0,20 centavos, Consórcio aceita proposta e greve dos motoristas é cancelada

Após debate com o Sindicato de Transporte Coletivo, o Consórcio Guaicurus anunciou acolher a proposta da Prefeitura e o fim da greve.

O diretor do Consórcio Guaicurus, João Rezende, destacou que o comprometimento da Prefeitura foi fundamental para se chegar a uma resposta positiva. “Iremos garantir o reajuste dos nossos funcionários. Vamos esperar que o Governo do Estado também se posicione a favor das medidas solicitadas, que podem ajudar a todos”, disse.

O Governo do Estado não garantiu a adesão ao Convênio ICMS, criado pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), que autoriza o Estado a redução base de cálculo do ICMS nas operações internas com óleo diesel e biodiesel destinadas a empresa concessionária ou permissionária de transporte coletivo, mas se posicionou a favor de pagar pelos passes referentes a gratuidade dos alunos da Rede Estadual de Ensino, que corresponde a 41,91% do benefício.

Na reunião da última quinta-feira (6) no Ministério Público do Trabalho (MPT) ficou definida que a tarifa dos ônibus passa a custar R$ 4,40 a partir da próxima segunda-feira (17) e não mais da sexta-feira (14). O reajuste ficou em 0,20 centavos a mais para a população.

Segundo o prefeito Marquinhos Trad (PSD), a decisão deve constar já na edição desta quarta-feira (12).

Comentários