(Foto: Edemir Rodrigues)

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) registrou um aumento em julho se comparado a junho deste ano, segundo dados da pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC). De acordo com o indicador, o índice é de 96,1, pontos com oscilações desde janeiro deste ano entre aumento e recuo. Esse número é maior que o nacional, que apontou 80,7 pontos.

A pesquisa mostra que todos os ítens estão positivos e apenas o de compra à prazo/acesso ao crédito está na zona negativa.

De acordo com a percepção de 56,5% dos entrevistados, a situação do emprego em julho está “mais segura” que o mês anterior e 55,2% afirmam que a renda está igual a do ano passado nesse mesmo período. “Estamos com um clima mais otimista, mesmo com 47% das famílias afirmando que estão comprando menos do que no ano passado. As medidas adotadas para a redução de impostos estão impactando na avaliação do consumidor, que vê um cenário econômico mais positivo para este segundo semestre”, avalia a economista da Fecomércio MS, Regiane Dedé de Oliveira.

Sobre o ICF: A pesquisa de Intenção de Compras das Famílias (ICF) investiga junto aos consumidores as avaliações que estes fazem sobre sete itens: Emprego Atual, Perspectiva Profissional, Renda Atual, Facilidade de Compra a Prazo, Nível de Consumo Atual, Perspectiva de Consumo no curto prazo e Oportunidade para compra de bens duráveis. Todas as avaliações podem ser analisadas separadamente e também de forma segmentada em dois níveis de renda. O ICF tem como foco absoluto a avaliação que as famílias fazem exclusivamente sobre os aspectos que envolvem o seu orçamento doméstico e seu nível de consumo, presente e de curto prazo.

Confira a pesquisa aqui.

Comentários