28.8 C
Campo Grande
segunda-feira, 17 de junho, 2024
spot_img

Dia dos Namorados de 2024 promete aquecer o comércio, aponta pesquisa

Dados do Instituto Locomotiva e QuestionPro mostram que 102 milhões de pessoas pretendem comprar algo para a data

O Dia dos Namorados, comemorado no dia 12 de junho, promete ser melhor para o comércio em 2024. Isso porque sete em cada 10 brasileiros (66%), o equivalente a 102 milhões de pessoas, pretendem presentear alguém na data neste ano, enquanto em 2023 esse percentual foi de 59%.

Os dados são da pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva e QuestionPro, e revelam ainda que, entre os brasileiros que estão em algum relacionamento, os mais ricos devem gastar quase o dobro em presentes e comemorações se comparado aos mais pobres. Enquanto as classes AB planejam gastar em média R$ 440, as classes DE irão desembolsar cerca de R$ 239.

Roupas e acessórios são as principais opções para presentes (50%), seguidas por chocolates (32%), cosméticos (26%) e calçados (23%). Por outro lado, 91% dos entrevistados que têm um relacionamento pretendem fazer algo para comemorar a data, como sair para passear ou ir a um restaurante especial, programa mais escolhido entre os brasileiros para o dia (31%). Apenas 9% não pretendem fazer nenhuma atividade.

Diferenças sociais

A comemoração vai ser diferente para as camadas sociais, entre alta e baixa renda. Enquanto 63% das pessoas comprometidas das classes AB pretendem sair para comemorar, seja indo a um restaurante almoçar ou jantar, ou indo ao cinema, por exemplo, 43% das classes DE afirmam que irão fazer alguma atividade caseira, como cozinhar almoço ou jantar ou assistir a um filme para celebrar.

“A forma de comemorar ou presentear pode mudar, mas identificamos que a intenção é grande, o que demonstra uma melhora na situação econômica do país, com a redução do desemprego, e isso acaba estimulando o desejo de consumo, principalmente nessas datas especiais”, afirma Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva.

A pesquisa quantitativa possui uma amostra de 1.500 entrevistas com homens e mulheres com 18 anos ou mais, realizadas de 13 a 24 de maio em todo o País. A margem de erro é de 2,5 p.p.

Fale com a Redação