Corpo da vítima sendo retirado do local do crime. Leonardo Cabral/Diário Corumbaense

Liane de Arruda Darmanceff, de 51 anos, proprietária de um restaurante localizado na esquina das ruas América e Major Gama, centro de Corumbá, foi encontrada morta por um funcionário, na manhã deste domingo (12). A suspeita é de que a empresária tenha sido roubada e morta a facadas em seguida. Carro foi deixado abandonado na mesma rua em que a vítima morava, mas em outro bairro.

De acordo com site Diário Corumbaense, um funcionário dela relatou que chegou cedo para trabalhar, bateu na porta, mas a vítima, que morava sozinha anexo ao restaurante, não abriu. Ele esperou ainda por algum tempo e resolveu chamar a irmã de Liane.

Eles acabaram arrombando a porta e encontraram o corpo no quarto dela. Havia um cofre, que estava aberto e todo o cômodo foi revirado. Uma das câmeras internas do restaurante foi coberta com toalha de mesa e um CPU, que gravava as imagens, também foi levado.

Dona de restaurante é encontrada morta e veículo abandonado na mesma rua
Além de cervejas, o CPU também estava dentro do carro, que tinha marca de sangue na maçaneta do motorista. Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Ainda segundo o site, uma das câmeras de segurança na parte interna do restaurante foi coberta por uma toalha. O CPU, equipamento onde as imagens eram armazenadas, foi furtado, além do veículo modelo Fox, de cor preta, que acabou sendo localizado na mesma rua do restaurante, mas já no Bairro Aeroporto, próximo a pista de voo do Aeroporto Internacional de Corumbá.

No interior do carro havia uma máscara e um pó branco, que pode ser entorpecente, foi encontrado no banco de trás. O CPU que gravava as imagens de câmeras de segurança do restaurante de Liane e que havia sido levado, estava no carro. A perícia no computador deve ajudar nas investigações.

Conforme o delegado Willian Rodrigues, registros de câmeras de segurança instaladas próximas ao estabelecimento devem ajudar nas investigações. Latrocínio, roubo seguido de morte, é uma das linhas de investigação.

Comentários