Orquídea. (Foto/Divulgação Senar)

No decorrer do ano, a floricultura é lembrada, principalmente, em datas comemorativas. Aniversários, dia das mães, dos namorados, bodas de casamento e muitas outras ocasiões especiais. Em 2020, mesmo em meio a pandemia da covid-19, o setor teve um crescimento de 10% no faturamento, segundo a Ibraflor (Instituto Brasileiro de Floricultura). Este é o assunto do Mercado Agropecuário desta segunda-feira (02).

Os números compreendem desde a produção até as vendas por atacado e varejo. Foram R$ 9,6 bilhões em comercialização apenas no último ano. Essa evolução é registrada desde 2012, quando o seguimento movimentou R$ 4,8 bilhões. Para 2021, a expectativa é de crescimento entre 2% a 5%, uma estimativa reduzida devido ao novo coronavírus.

Ainda de acordo com o instituto, 50% da produção é de plantas ornamentais. O restante é divido em flores de corte, flores em vasos e outros serviços.

Segundo dados de 2021 do IBGE, são 8 mil produtores de flores e plantas ornamentais em todo o Brasil. São cultivadas cerca de 2,5 mil espécies, com aproximadamente 17,5 mil variedades.

Em Mato Grosso do Sul são cerca de 40 propriedades de floricultura e plantas ornamentais, de acordo com o Censo Agropecuário de 2017 (último com o segmento registrado). Nesse período, o mercado movimentou aproximadamente R$ 883 mil reais no estado.

O estado de São Paulo lidera o ranking de produção e consumo nacional de flores e plantas ornamentais e se caracteriza pela evolução tecnológica e organização setorial. Minas Gerais, Ceará, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também se destacam no cenário brasileiro.

Comentários