Câmera de segurança mostra dinâmica do acidente (Foto: Reprodução)

Imagens de câmeras de segurança comprovaram que o motociclista de 31 anos, morto em um acidente de trânsito na manhã deste sábado (21) no centro de Campo Grande, avançou o sinal vermelho do cruzamento entre a rua Antônio João e a Avenida Joaquim Murtinho, onde foi atingido por um veículo.

O motociclista chegou a ser atendido pelo Corpo de Bombeiros, que identificou um amassamento na cabeça dele e fratura exposta na perna esquerda. No entanto, a vítima sofreu uma parada cardíaca logo em seguida, os militares tentaram por cerca de 40 minutos a reanimação, porém, ele não resistiu e faleceu ainda no local do acidente.

Conforme a investigação, a vítma seguia pela Rua José Antônio e avançou o cruzamento cerca de 10 segundos após o semáforo ficar vermelho. Na sequência, ele é atingido por um veículo modelo Honda WR-V, que era dirigido por uma mulher e que não sofreu ferimentos graves.

O motociclista estava com o capacete desfivelado e o equipamento de segurança escapou de sua cabeça após o impacto, com isso, ele bateu contra o meio-fio.

O exame papiloscópico apontou a identidade, uma vez que ele estava sem documentos pessoais, como CNH (Carteira Nacional de Identificação) ou RG. O motociclista estava com uma mochila, onde havia cartões de visita que ajudaram na identificação.

Aos policiais, a motorista relatou que não furou o sinal vermelho. A perícia esteve no local e não encontrou sinais de freada no cruzamento.

Ela foi encaminhada para a delegacia de polícia para prestar depoimento e passou por teste do bafômetro, que não apontou para a presença de álcool.

Em seguida, através de imagens de câmeras de segurança de imóveis da região, ficou comprovada a versão da condutora de que o motociclista havia furado o sinal em alta velocidade.

Comentários