A taxa de desocupação em Mato Grosso do Sul no primeiro trimestre de 2022 ficou estável, fechando em 6,5%, a terceira menor do país, mesma posição obtida no trimestre anterior, de acordo com a PNADC (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua) divulgada nesta sexta-feira (13) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatisticas).

A taxa de desocupação revela a porcentagem de pessoas na força de trabalho que estão desempregadas. De acordo com o governo federal, essa taxa ficou estável em 26 unidades da federação no primeiro trimestre de 2022. As maiores taxas foram as da Bahia (17,6%), de Pernambuco (17,0%) e Rio de Janeiro (14,9%) e as menores foram registradas em Santa Catarina (4,5%), Mato Grosso (5,3%) e Mato Grosso do Sul (6,5%).

No desempenho sul-mato-grossense, o número de pessoas ocupadas chega a 1,311 milhão, com 91 mil desocupados. Entretanto, a queda no número de pessoas na força de trabalho foi de 1,402 milhão neste trimestre, em relação aos 1,432 milhão de pessoas no trimestre anterior.

Com relação aos setores, os que mais contrataram em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (2021) foram: Alojamento e Alimentação (41,67%), Indústria em geral (31,03%) e Transporte e armazenagem (12,28%). Já os setores que mais demitiram foram: Administração pública (-3,28%) e Agropecuária (-2,91%).

Em geral, houve um aumento nas contrações de 6,33% em relação ao mesmo trimestre de 2021, gerando 78 mil novas vagas, 1,311 milhão ocupados contra 1,233 milhão de ocupados no mesmo trimestre em 2021.

Na avaliação do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, o desempenho é resultado das “ações do Governo do Estado para a retomada da economia, atração de investimentos e geração de empregos”.

Comentários