Em Ponta Porã

Fuzis, granadas, munições e explosivos são apreendidos na fronteira

Polícia suspeita de ligação do Novo Cangaço com arsenal de guerra encontrado em Ponta Porã.

 

09/02/2020 14h20
Por: Redação

 
Armamento de grosso calibre apreendido pelo DOF.  Divulgação Armamento de grosso calibre apreendido pelo DOF. Divulgação

O Departamento de Operações de Fronteira (DOF) realizaram na manhã deste domingo (9), em uma chácara nas proximidades da cidade de Ponta Porã, na região de fronteira com Pedro Juan Caballero no Paraguai, uma grande apreensão de fuzis, granadas, munições e explosivos, além de um veículo blindado.

A suspeita que o arsenal apreendido fosse usado por facções em roubos a bancos, na modalidade do Novo Cangaço. Três homens foram presos, entre eles um campo-grandense de 25 anos, além de um carioca e o dono da chácara onde o armamento foi localizado.

Os policiais abordaram o trio que transitava em uma caminhonete blindada. O grupo entrou em contradição e não foi capaz de explicar com clareza o que fazia no local. Diante dos fatos, a equipe decidiu fazer uma vistoria na chácara em que eles estavam, onde havia 17 armas de grosso calibre, granadas e uma mochila com dinamite.

Ao todo eram fuzis 556 e 762, um fuzil .30, escopetas, uma metralhadora com carregador para 90 tiros, vários carregadores reserva, coletes à prova de bala, máscara de palhaço, aproximadamente mil munições e fios de detonadores de explosivo.

Confira vídeo com todo material apreendido:

O coronel Marcos Paulo Gimenez, comandante do DOF, afirmou que o aparato tem características de uso em roubos a banco, especialmente da modalidade ‘novo cangaço’. O nome é inspirado nos cangaceiros que por três décadas cometeram crimes no Nordeste brasileiro.

O trio preso, negou ter ligação com facções criminosas, mas a polícia não descarta que eles façam parte do Comando Vermelho.

Envie seu Comentário