Parte do comércio reabre dia 6

Marquinhos anuncia volta às aulas em maio e convida população para prece virtual no domingo

Comércio deve reabrir na segunda, com nove atividades ainda vetadas.

 

01/04/2020 18h38
Por: Redação

 
Reprodução Reprodução

O prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad anunciou na tarde desta quarta-feira (1º) a prorrogação da suspensão das aulas presenciais da Reme (Rede Municipal de Ensino) para o próximo dia 6 de maio. Além disso, o prefeito informou que o comércio deve ser reaberto na segunda-feira (6), com restrições para algumas atividades e também, convidou a população campo-grandense a participar de prece coletiva no próximo domingo (5). Os Decretos serão publicados nessa quinta-feira (2) na Diogrande.

Em relação ao retorno das aulas da Reme, Marquinhos anunciou que a data não será a mesma do Estado para que os pais e as linhas de ônibus se adequar ao reinício das atividades escolares na capital, evitando aglomeração e congestionamento no transporte público. No estado, asaulas tem início no dia 3 de maio.

Já o comércio varejista, incluído as lojas de vestuário, perfumaria e armarinhos, tanto no centro de Campo Grande como nos bairros, poderá reabrir a partir de segunda-feira (6), desde que adotadas as normas de biossegurança previstas pela Prefeitura.

A prefeitura estabeleceu critérios de risco e definiu nove atividades que continuam proibidas até o controle epidêmico. Ainda ficaram fechados os shoppings, academias, universidades e o Camelódromo, onde a liberação só deve ocorrer a partir do dia 13 de abril.

Estão incluídas ainda serviços tipo self-service, buffets para festas e eventos, casa de show, boates, bares com entretenimento; transporte por moto-táxi, shows e apresentações culturais que promovam agromeração; estabelecimento de ensino; palestras e cursos que promovam aglomeração; e parque de diversões e circenses.

Na live, o prefeito aproveitou para convidar a população campo-grandense a participar de prece coletiva no próximo domingo (5), para levar a Deus orações, rezas e preces pedindo a cura da cidade da pandemia do novo coronavírus Covid-19.

Ele ainda afirmou que, apesar do Estado ser laico, esse momento de fé servirá para amenizar a angústia de muitos "crentes" da cidade. "Independente da sua religião ou até mesmo para os ateus, essa hora de fé e reflexão poderá nos dar clareza para enfrentar esse momento difícil que a cidade, o estado e o país estão atravessando", finalizou.

Envie seu Comentário