IBGE

Ranking do PIB municipal mostra poucas alterações nos 10 primeiros colocados

 

13/12/2019 19h23
Por: Redação

 

A cidade de Selvíria, na divisa com São Paulo, manteve-se no topo do ranking do PIB per capita de Mato Grosso do Sul no ano de 2017, conforme estudo desenvolvido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e compilado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). O PIB (Produto Interno Bruto) per capita é a soma de todas as riquezas produzidas pelo município, dividida pelo número de habitantes.

Em valores absolutos o PIB de Selvíria ocupa a 9ª posição entre os municípios sul-mato-grossenses, perdendo para economias fortes como Campo Grande, Três Lagoas, Dourados e Corumbá. Mas ao dividir suas riquezas, que em 2017 somaram R$ 1.757.235.870,00 pelos 6.482 habitantes, obtém-se um total de R$ 271.094,70 por pessoa, valor mais que o dobro do apurado pelo segundo colocado, Paraíso das Águas, outro pequeno município em população. Selvíria está em 67º e Paraíso das Águas em 72º em número de habitantes no Estado.

O secretário da Semagro, Jaime Verruck, explica o motivo que faz Selvíria ter um PIB tão elevado, embora não figure entre os principais produtores do Estado. "Essa riqueza toda vem dos royalties repassados pela usina hidrelétrica de Ilha Solteira, instalada no rio Paraná, cujo represamento das águas alagou uma grande área do município". Em 2016 o PIB per capita de Selvíria foi ainda mais alto: R$ 306.138,63.

Em segundo lugar no ranking no PIB per capita do Estado está Paraíso das Águas, cuja soma das riquezas foi de R$ 617.917,10 em 2017, ficando na 30ª posição nominal. Mas quando se divide hipoteticamente esse valor com os 5.350 moradores, obtém-se um PIB per capita elevado.

Em terceiro aparece a cidade de Água Clara, que ultrapassa Três Lagoas, a quarta colocada. Em quinto está Costa Rica, que no ano de 2016 desbancou Chapadão do Sul. Com queda constante no valor do PIB, Chapadão do Sul por muitos anos ocupou o topo do ranking estadual e em 2017 figurou na 9ª posição.

Com relação ao PIB nominal, Campo Grande tem disparada a maior economia do Estado, somando R$ 27.034.851.040,00 em 2017. Em segundo lugar se mantém Três Lagoas com R$ 10.131.704.500,00, mas há uma aproximação nos números desses municípios. Em 2015 a economia de Campo Grande era quase quatro vezes maior que a de Três Lagoas (R$ 24 bi contra R$ 7 bi). Dois anos depois não chega ao triplo.

"Três Lagoas se consolidou como polo industrial e tem muito a crescer ainda. No final de 2017 entrou em atividade a segunda linha de produção da Fibria, que ampliou em 1,5 milhão de toneladas de celulose. Tivemos esse ano o lançamento de outra importante indústria de beneficiamento de fibra curta de celulose para produzir papéis especiais, e há projeto para implantar uma terceira linha de produção da Fibria, o que vai impactar positivamente o PIB do município, encurtando mais a distância do PIB da Capital", analisa Verruck.

O mesmo estudo do IBGE revela a evolução populacional dos municípios sul-mato-grossenses em 2017. Não houve alteração nas cinco primeiras colocações no comparativo com os dois anos anteriores (2016 e 2015). Em primeiro lugar, no número de habitantes, aparece Campo Grande com 874.210 pessoas, seguido de Dourados (218.069), Três Lagoas (117.477), Corumbá (109.899) e Ponta Porã (89.592).

Sidrolândia ultrapassou Naviraí em 2015 e se mantém no 6º lugar em total de habitantes com 54.575 pessoas. E até a 16ª posição não houve alteração no ranking entre 2015 e 2017. No total, Mato Grosso do Sul tinha 2.713.147 habitantes em 2017, crescimento de apenas 1,14% em relação ao apurado em 2016, que por sua vez havia apresentado variação de 1,17% na comparação com 2015.

Envie seu Comentário