Reprodução/Facebook

A Polícia Civil encontrou uma garrafa de vodca pela metade no carro Chevrolet Cobalt, do advogado Helder da Cunha Rodrigues de 38 anos, que causou a morte do soldado da Polícia Militar Luciano Abel de Carvalho Nunes de 29 anos, durante acidente de trânsito na madrugada de hoje (19).

Hélder não tinha CNH (Carteira Naconal de Habilitação) habilitada na categoria B (carro). Segundo informações do Detran, ele era habilitado apenas na categoria A (moto) e mesmo assim o documento estava vencido desde 2015.

Luciano Abel de Carvalho Nunes foi atingido pelo condutor bêbado no cruzamento da Avenida João Arinos com a Rua Centáurea, na saída para Três Lagoas. O policial militar estava em uma motocicleta Yamaha XJ6 300 cilindradas.

Ele chegou a ser atendido por equipes do Corpo de Bombeiros, mas acabou morrendo no local. Já o condutor fugiu do local, mas foi encontrado.

O chefe da Fiscalização do Detran-MS, Otílio Rubem Ajala Junior, lamentou o ocorrido apesar dos esforços somados para tirar das ruas os condutores infratores da Lei Seca, casos como esse ainda ocorram.

“Mais uma vida que foi ceifada em acidente de trânsito envolvendo motorista embriagado e com um agravante: sem CNH. Isso demonstra claramente a importância de se cumprir o processo para a habilitação”, lamentou.

Sobre a situação do advogado que causou o acidente e a morte, a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil), informou que a oitiva do advogado foi acompanhada pela presidente da Comissão de Defesa e Assistência das Prerrogativas dos Advogados, Silmara Salamaia. Assim que o órgão receber a comunicação, abrirá procedimento para análise da conduta do advogado envolvido no acidente, que será encaminhada ao Tribunal de Ética e Disciplina.

Comentários