Coordenadora da Central Estadual de Transplantes de MS, Claire Miozzo, foi entrevistada pela TV ALEMS.

O programa “Perspectiva”, da TV Assembleia, debate em sua nova edição um problema crônico da nossa sociedade: as dificuldades na doação de órgãos. As filas são muito maiores que o número de órgãos e tecidos disponíveis e os problemas se complicaram com o avanço da pandemia e com a queda no número de doadores. Conversou com Lívia Machado sobre o tema a coordenadora da Central Estadual de Transplantes de MS, Claire Miozzo.

Uma das dificuldades enfrentadas não só em MS, mas em todo o país, é com relação a investigação da presença do vírus nos doadores. Caso o teste dê positivo, mesmo que a morte tenha sido causada por um motivo totalmente diferente, como um acidente, o processo de doação é interrompido imediatamente. A orientação, explica Claire durante o programa, é do Ministério da Saúde.

Outra situação que já existia antes da pandemia se repetiu com mais intensidade: a resistência das famílias, que são as únicas a autorizarem a doação. Com a limitação no tempo de velórios e a demora na liberação dos corpos que passam pelo processo de retirada de órgãos e tecidos, a quantidade de negativas para doação aumentou.

Para estimular o debate em torno do assunto e a conscientização pela população sobre a importância da doação, a Assembleia Legislativa tem apoiado a campanha Setembro Verde. São potenciais doadores os pacientes cuja morte cerebral é comprovada. Em vida, é possível doar tecidos, rim e medula óssea.

O “Perspectiva” é exibido ao longo da programação da TV ALEMS, canal 9 da operadora Claro NET em Campo Grande e em Dourados. Também é possível conferir esse e outros programas já exibidos pelo canal do YouTube da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Comentários