21.8 C
Campo Grande
terça-feira, 23 de abril, 2024
spot_img

Vereador da Capital é alvo de Operação Tromper que aponta continuo esquema de corrupção milionária em Sidrolândia

O vereador de Campo Grande, Claudinho Serra (PSDB), é um dos alvos da 3ª fase da Operação ‘Tromper’ do MPE-MS (Ministério Público Estadual), deflagrada na manhã desta quarta-feira (3), como Enfoque MS noticiou extraoficialmente. À pouco, dados oficias foram divulgados, com a ação tendo 36 mandados, entre prisão e de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos em Campo Grande e Sidrolândia, que é o município alvo de investigações de esquema de corrupção e operações que se incitaram em maio de 2023.

Veja abaixo, matérias de todo o caso, onde hoje pela 3ª Tromper, o MPE-MS aponta a continuidade milionária, chegando a R$ 15 milhões, do esquema de corrupção, mesmo com a mudança de prefeito. Conforme nota inicial do MPE, que ainda não confirmou nomes dos envolvidos, foi deflagrada a Operação, para cumprir oito mandados de prisão e 28 de busca e apreensão ante desdobramento de investigações do Grupo Especial de Combate à Corrupção (Gecoc).

As apurações teriam ratificado a existência de uma organização criminosa voltada a fraudes em licitações e contratos com a Prefeitura de Sidrolândia, bem como o pagamento de propina a agentes públicos municipais. O MPE-MS identificou desde o ano passado, a existência de um esquema de corrupção na prefeitura, que funcionaria desde 2017, na gestão do então prefeito Marcelo Ascoli, destinado a obtenção de vantagens ilícitas por meio de fraudes em licitações.

A reportagem apurou que o vereador da Capital, Claudinho Serra, que foi secretario municipal de Fazenda, Tributação e Gestão Estratégica de Sidrolândia, até março de 2023, é um dos alvos de mandado de busca e apreensão. Ele mora em condomínio de luxo em Campo Grande. O vereador seria atual principal alvo de operação contra corrupção em cidade onde a sogra Vanda Camilo, é a atual prefeita, que ele foi gestor da pasta responsável por contratos e arrecadação.

A Justiça autorizou busca e apreensão na casa do vereador tucano, que é genro de Vanda, apesar da ação se tratar de casos na administração passada. Vanda não foi e não é alvo, mas esquema de corrupção, teria continuado em curso na prefeitura.

Vereador da Capital é alvo de Operação Tromper que aponta continuo esquema de corrupção milionária em Sidrolândia
Um dos locais alvos de mandado de busca e apreensão

Nota do MPE

O Ministério Público divulgou a nota, sem muitos detalhes da atual ação, sendo que a mesma vem por meio da 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Sidrolândia, do GECOC e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), deflagrada nesta quarta-feira (3), como a terceira fase da Operação “Tromper”, tendo como objetivo o cumprimento de 8 (oito) mandados de prisão e 28 (vinte e oito) de busca e apreensão.

“O desdobramento das investigações, conduzidas pelo GECOC, ratificou a efetiva existência de uma organização criminosa voltada a fraudes em licitações e contratos administrativos com a Prefeitura Municipal de Sidrolândia, bem como o pagamento de propina a agentes públicos municipais”, descreveu o MPE em nota.

O MPE-MS aponta a continuidade milionária do esquema de corrupção, mesmo com a mudança de prefeito. A cidade passou da gestão de Marcelo Ascoli, para Vanda Carrilho.

“Também foi identificada nova ramificação da organização criminosa, atuante no ramo de engenharia e pavimentação asfáltica. Os contratos já identificados e objetos da investigação alcançam o montante aproximado de R$ 15.milhões”, aponta nota do MPE.

A operação

“Tromper”, verbo que dá nome à operação, traduz-se da língua francesa como ‘enganar’. Hoje, a operação contou com o apoio operacional do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), do Batalhão de Choque e da Força Tática da Polícia Militar, além da assessoria militar do MPMS.

Nas duas primeiras fases da Operação Tromper, os agentes investigaram corrupção na prefeitura de Sidrolândia, cidade distante 70 quilômetros de Campo Grande. Durante as investigações foi descoberto, segundo o Gecoc, conluio entre empresas que participaram de licitações e firmaram contratos com a Prefeitura de Sidrolândia, que somados chegam a valores milionários.

Ainda segundo as apurações, também foi investigada a existência de uma organização criminosa voltada a fraudes em licitações e desvio de dinheiro público, bem como o pagamento de propina a agentes públicos, inclusive em troca do compartilhamento de informações privilegiadas da administração pública.

Vereador

A reportagem tentou contato com o vereador Claudinho Serra, por telefone, e nenhuma ligação foi atendida. A prefeita Vanda também não atendeu as ligações.

O vereador Claudinho Serra assumiu mandato primeiramente, em maio de 2023, com a saída de João Rocha para secretaria municipal de Campo Grande.

Com a volta de Rocha para a Câmara, Claudinho sairia, mas ficou e desta vez, assumiu em 7 de março deste ano, a cadeira de Ademir Santana (PSDB), que deixou o cargo para atuar em campanha eleitoral do PSDB.

MATÉRIAS ANTERIORES

Nova operação ‘Tromper’ do Gaeco começa na Capital e em Sidrolândia nesta quarta-feira

Operação Tromper: servidores e empresários são detidos dentro de secretarias pelo Gaeco

Prefeita ‘sem saída’ exonera secretários após condenação e escândalos em Sidrolândia revelados a quatro meses

Justiça aceita denúncia contra secretário e empresários sobre apontado esquema de corrupção em prefeitura

Câmara abre CPI para investigar escândalo de corrupção em Sidrolândia

Gaeco cumpre mandados de prisão e busca e apreensão na Prefeitura de Sidrolândia

Quebra de sigilos identifica transação milionária e propina a servidores e empresas em Sidrolândia

Gaeco faz em Sidrolândia apreensão de dinheiro em ação contra corrupção que viria desde 2017

Fale com a Redação