28.8 C
Campo Grande
segunda-feira, 17 de junho, 2024
spot_img

Vídeo: cadela Laika localiza dois corpos soterrados em cidade gaúcha destruída pela tragédia climática

Dois corpos foram resgatados através do trabalho desempenhado pela equipe de bombeiros militares de Mato Grosso do Sul na cidade de Roca Sales (RS), uma das mais atingidas pela tragédia climática. A cadela Laika foi quem localizou os restos mortais a partir do seu faro, na tarde de ontem (20).

Os militares estão há nove dias no local procurando os corpos de seis pessoas de uma mesma família que acabou soterrada. O sargento Thiago Kalunga, do CBMMS, disse que um dos corpos resgatados já foi identificado. “É uma área de difícil acesso e a perspectiva é que possamos avançar no terreno utilizando um maquinário”, disse ele em um vídeo.

Devido às situações de risco, como pedras no alto do morro, inclinação e a presença de várias pedras soltas, o trabalho de buscas deve levar mais alguns dias. Mesmo com o encontro das duas vítimas, as equipes continuam a atuar no local para encontrar às demais pessoas desaparecidas.

A equipe sul-mato-grossense é especializada neste tipo de salvamento, composta por três militares e uma cadela, está trabalhando nos resgates no Rio Grande do Sul desde o dia 13 de maio, com a primeira parada em Encantado (RS).

Sobre a cadela Laika, o Corpo de Bombeiros informou que ela tem certificado de busca de restos mortais, após um treinamento da 1° Certificação Nacionais de Cães de Busca e Resgate em Cianorte (PR).

Tragédia climática

Vídeo: cadela Laika localiza dois corpos soterrados em cidade gaúcha destruída pela tragédia climática
Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Ao todo, 161 pessoas faleceram na tragédia climática do Rio Grande do Sul. Seguem desaparecidas 85 pessoas e 806 ficaram feridas. Os dados são do boletim divulgado pela Defesa Civil do estado nesta terça-feira (21).

Ao menos 654,19 mil gaúchos estão fora das residências, sendo 581.633 desalojados – aqueles que tiveram de sair de seus lares e estão acolhidos em casas de familiares, amigos ou conhecidos – e outras 72.561 pessoas estão morando temporariamente em um dos 839 abrigos cadastrados pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Rio Grande do Sul. 

Mais da metade da população desabrigada é da região metropolitana de Porto Alegre (54,09%). A segunda maior região do estado com desabrigados é o Vale dos Sinos (26,98%). O número de atingidos pela catástrofe climática também aumentou para 2.339.508, ou 21,49% dos 10,88 milhões de habitantes do estado.

O número de pessoas resgatadas permanece em 82.666. O boletim da Defesa Civil contabiliza ainda o resgate de 12.358 animais silvestres e domésticos com vida, a maioria cães e gatos. Dos 497 municípios, 464 tiveram suas rotinas impactadas pelas fortes chuvas, o equivalente a 93,36% de todas as cidades sul-rio-grandenses.

Fale com a Redação