Interrupção do fornecimento de energia segue proibida para cerca de 9,5 milhões de famílias de baixa renda até o final de 2020

Após mais de quatro meses de proibição devido à pandemia do novo coronavírus, a energia elétrica dos consumidores inadimplentes pode voltar a ser cortada a partir desta segunda-feira (3). As interrupções estavam barradas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) desde o dia 24 de março.

Como o prazo final para a isenção ocorreu no último sábado (1º), os cortes só estão autorizados a acontecer a partir de hoje porque o desligamento de serviços públicos não pode acontecer nas sextas-feiras, sábados, domingos e feriados.

A decisão da Aneel também autorizou que as distribuidoras cobrem uma taxa de religação após o pagamento das contas em atraso.

A medida foi autorizada pela Aneel e as famílias de baixa renda seguirão com o fornecimento mantido mesmo sem o pagamento das pendências. A chamada Tarifa Social deve beneficiar cerca de 9,5 milhões de famílias até o final de 2020.

O Decreto Legislativo nº 6/2020 também mantém o impedimento de cortes para residências com dependa de equipamentos elétricos essenciais à preservação da vida e que deixaram de receber a fatura impressa sem autorização do consumidor.

As interrupções da energia elétrica também não ocorrerão em regiões sem postos de arrecadação, como bancos e lotéricas, em funcionamento ou naqueles locais onde a circulação de pessoas seja restringida por ato do poder público.

Em Mato Grosso do Sul, duas empresas, Energisa e Elektro, são responsáveis pela distribuição de energia elétrica à população.

Para evitar a interrupção de fornecimento de energia, as distribuidoras oferecem alternativas com condições especiais de pagamento. A Energisa, que atende 74 municípios do estado, está oferecendo medidas de pagamento aos aos clientes residenciais, residencial rural e serviços essenciais que tiverem contas atrasadas, que vão de 10% de entrada a 12 parcelas mensais.

Segundo a distribuidora Energisa enviará avisos para todos os clientes inadimplentes, passíveis de corte. Conforme a nota, “os clientes podem entrar em contato através do WhatsApp 9 9980-0698 ou pelo Call Center 0800 722 7272” para verificar cada situação. Também manter condições de parcelamento para aqueles que estão com contas de luz em atraso.

Já a Elektro, que atende as cidades de Santa Rita do Pardo, Brasilândia, Três Lagoas, Selvíria e Anaurilândia, decidiu manter a proibição de cortes de energia por falta de pagamento para imóveis residenciais nos quais morem pessoas que dependam de equipamentos elétricos essenciais à preservação da vida até o final de 2020, além dos clientes classificados como baixa renda. As negociações de dívidas com a empresa podem ser feitas pelo site www.elektro.com.br, aplicativo Elektro no smartphone ou tablet.

*Com informações R7

Comentários