Dois ex-guardas municipais de Campo Grande, um ex-policial militar e um membro de uma facção criminosa do RJ

30/01/2020 19h33
Por: Redação

O Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou nesta quinta-feira (30) a lista com os 26 criminosos mais perigosos do país. Quatro são de Mato Grosso do Sul, sendo dois ex-guardas civis municipais de Campo Grande, um ex-policial militar, excluído da instituição e mais um membro de uma facção criminosa do Rio de Janeiro, que opera em MS.

Os ex-guardas municipais José Moreira Freires, o Zezinho, e Juanil Miranda Lima fariam parte da suposta milícia do jogo do bicho que agia em Mato Grosso do Sul, que seria chefiada por Jamil Name e Jamil Name Filho.

A dupla é investigada no âmbito da Operação Omertà. Zezinho e Juanil teriam participado conforme denúncia do Ministério Público Estadual (MP-MS), do assassinato do estudante de direito Matheus Coutinho Xavier, de 19 anos, em 9 de abril do ano passado. O jovem teria morrido por engano, sendo o pai, Paulo Roberto Xavier, capitão da reserva da PM, o alvo da dupla.

Além deles, consta na lista Fábio Costa, conhecido como Pingo ou Japonês, ex-policial militar do Mato Grosso do Sul, suspeito de corromper agentes públicos e liderar uma quadrilha de contrabandistas de cigarro e de participar do ataque a casa de um policial rodoviário em 2017, após a apreensão de uma carga de cigarros contrabandeados avaliada em R$ 14 milhões.

O outro criminoso é Leomar Oliveira Barbosa, o “Leozinho” ou “Playboy”. Ele é apontado pelo ministério como membro da maior facção criminosa do Rio de Janeiro, com conexões com as Forças Revolucionárias Colombianas (FARCs) e foi braço direito do narcotraficante Fernandinho Beira-Mar.

Segundo o ministério, a lista de procurados foi feita com base em informações obtidas com as áreas de segurança estaduais e a partir de 11 critérios objetivos, como posição de liderança em organização criminosa, capacidade financeira para investir em atividades criminosas, atuação interestadual e internacional, entre outras.

Segundo Moro, a lista é importante para facilitar as prisões dos criminosos para que possam cumprir as penas e enfraquecer a atuação dos crimisosos.

Queda da criminalidade

De acordo com os números mais recentes do ministério, o país registrou queda de 21,4% nos homicídios nos primeiros nove meses de 2019, em comparação com o igual período de 2018. No mesmo período, também houve queda em outros índices de criminalidade, como ocorrências envolvendo estupro (6,4%), roubo a banco (38,4%), latrocínio (22,2%), roubo de cargas (23,3%) e roubo de veículos (26,4%).

As informações sobre os índices de criminalidade estão disponíveis na plataforma eletrônica Sinesp, no site do Ministério da Justiça. A partir de hoje, as ocorrências de homicídios registradas em todos os municípios do país serão inseridas no sistema e poderão ser consultadas. Até o momento, os dados referem-se ao período entre janeiro de 2018 e setembro de 2019.

Lista dos quatro suspeitos de MS que estão incluídos na lista dos 26 mais procurados do país pelo Ministério da Justiça —  Ministério da Justiça/Divulgação

Comentários