(Foto: enviada via WhatsApp redação)

Foram doados os órgãos do eletrecista, de 33 anos, morto de forma acidental durante a execução de um empresário em Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (27). De acordo com as informações, os familiares da vítima foram informadas no começo da tarde de que as córneas dele eram compatíveis com a de uma pessoa que aguardava pelo transplante na fila de espera e que agora poderá enchegar e ter um vida muito melhor.

A informação foi confirmada pela esposa da vítima, em entrevista para a TV Morena. Segundo a fala dela, o marido tinha aquele endereço como seu caminho diário, além disso, sempre levava em sua mochila, além dos equipamentos de trabalho, a marmita do almoço e uma garrafa de café que compartilhava com os colegas. “Mesmo ele morto, ele vai continuar vivendo e ajudando outras pessoas. É uma dor muito grande que estamos passando, mas escolhemos ajudar outras pessoas”, declarou ela na entrevista.

Na oportunidade, a mulher comento que o marido era um homem bom, trabalhador e honesto. Após a morte, a família recolheu a motocicleta dele, bem como a mochila, marmita e as ferramentas. Pelas redes sociais, diversas pessoas que conheciam a vítima compartilharam mensagens de apoio, carinho e luto. Além disso, também cobram das autoridades justiça para prender os responsáveis pelo crime que tirou a vida de um inocente. Ainda não há informações sobre o velório e sepultamento.

O crime

O duplo assassinato aconteceu na manhã de hoje na Avenida das Bandeiras, próximo ao cruzamento com a rua Bom Sucesso, no bairro Jockey Clube. Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que um motocicleta aparece, a pé e de capacete, atirando contra um homem que estava mechendo em um celular na frente do lava-jato, o qual era o proprietário, e morreu na hora após ser atingido na cabeça.

Ao mesmo tempo em que a execução acontecia, pela avenida, passa o eletrecista em uma motocicleta seguindo para o seu local de trabalho. Ele acabou sendo atingido por um dos tiros dados pelo assassino e também faleceu no local. O Corpo de Bombeiros ainda tentou fazer a reanimação da vítima, mas ele não resistiu aos ferimentos. O tiro atingiu a região da axila esquerda e ele ainda percorreu cerca de 50 metros até cair com a moto na calçada.

A investigação

Para a investigação do caso, o empresário e principal alvo do atirador teria envolvimento com agiotagem. Inclusive, o lava-jato dele foi aberto no intuito de disfarçar o seu trabalho original de emprestar dinheiro para terceiros. Testemunhas relataram para a polícia que ao menos um dos veículos estacionados no local seria de um devedor do empresário, que tomou o carro como pagamento.

Além disso, no 28 de junho de 2021, o empresário foi preso na MS-164 transportando 400 cigarros contrabandeados. Na época, ele contou que buscou os cigarros em bazar em Pedro Juan Caballero.

Ele também alugava carros de terceiros e sublocava para outras pessoas, especialmente para motoristas de aplicativos. O caso está sendo investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. Ainda não há informações sobre quem possa ter atirado.

Comentários